COMPORTAMENTO DO NABO FORRAGEIRO (Raphanus sativus L.) E DA NABIÇA (Raphanus raphanistrum L.) COMO ADUBO VERDE

Autores

  • Juliana Domingues Lima
  • Michel Aldrighi
  • Ronaldo Kazuo Sakai
  • Everton Pires Soliman
  • Wilson da Silva Moraes

Palavras-chave:

Adubação verde, fitomassa, acumulação

Resumo

O presente trabalho teve como objetivo avaliar o comportamento do nabo forrageiro (Raphanus sativus L.) e da nabiça (Raphanus raphani Turnip) como alternativa de adubação verde para no período de inverno. Para tal, foi instalado um experimento em blocos casualizados, com dois tratamentos (espécies) e quatro repetições, em parcelas de 20 m2. Quando as plantas atingiram 50% de floração, foram avaliados a altura, o número de folhas, a área foliar, a massa seca e os teores de macronutrientes e carbono orgânico na massa seca. Em seguida, foi feito o corte das plantas rente ao solo em cada parcela. Trinta dias, foram contabilizados o número de rebrotes por parcela. Os resultados evidenciaram que não houve diferenças significativas no crescimento, acúmulo de fitomassa, acúmulo de N, P, Ca e Mg e relação C:N. As duas espécies apresentaram atributos desejáveis para suas utilizações como adubo verde no período de inverno. Contudo, o corte realizado não promoveu a completa eliminação das plantas nas espécies. Assim, a recomendação dessas espécies como adubo verde, deve estar relacionada ao uso de herbicida dessecante.

PALAVRAS-CHAVE: Adubação verde; fitomassa; acumulação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Domingues Lima

Campus Experimental de Registro, Universidade Estadual Paulista (Unesp). Rua Tamekishi Takano, n.5, Centro. CEP 11900-000 Registro, SP. E-mail: judlima@registro.unesp.br

Downloads

Publicado

16-10-2007

Como Citar

LIMA, J. D.; ALDRIGHI, M.; SAKAI, R. K.; SOLIMAN, E. P.; MORAES, W. da S. COMPORTAMENTO DO NABO FORRAGEIRO (Raphanus sativus L.) E DA NABIÇA (Raphanus raphanistrum L.) COMO ADUBO VERDE. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 37, n. 1, p. 60–63, 2007. Disponível em: https://revistas.ufg.br/pat/article/view/1871. Acesso em: 12 jul. 2024.

Edição

Seção

Nota Científica