MULTIPLICAÇÃO “IN VITRO” DE Cattleya x mesquitae PELO MÉTODO DE ESTIOLAMENTO DE SEGMENTOS CAULINARES

Autores

  • Tatiana Vieira Ramos
  • Iraídes Fernandes Carneiro

Palavras-chave:

Orchidaceae, orquídea, micropropagação

Resumo

O objetivo deste estudo foi estimular a formação de maior número de brotações e de novos explantes, por meio de fitorreguladores adicionados ao meio de cultura no cultivo in vitro de segmentos caulinares da orquídea Cattleya x mesquitae. Os segmentos caulinares foram excisados de plântulas originadas de semeadura in vitro, uniformizados para 1,0 cm de comprimento e cultivados em temperatura de 25ºC ± 2ºC, no escuro, durante sessenta dias. O meio de cultura foi o MS com redução dos macronutrientes à metade, contendo três concentrações de ANA (0 mg L-1; 0,1 mg L-1 e 2,0 mg L-1) e três concentrações de BAP (0 mg L-1; 0,5 mg L-1 e 2,0 mg L-1). De modo geral, houve maior produção de brotações na base do que nos nós, indicando um baixo desenvolvimento das gemas axilares. Com a adição de 0,5 mg L-1 de BAP houve uma produção média de cinco brotações por explante estiolado, o que significou um incremento de até duas brotações comparado ao cultivo na ausência de fitorreguladores. A maior concentração de BAP no meio de cultura, 2,0 mg L-1, mostrou-se prejudicial, promovendo uma redução de 50% na produção de novas brotações. A ausência de luz foi o fator determinante para o alongamento caulinar, enquanto a aplicação de fitorreguladores foi desnecessária, embora tivesse ocorrido maior formação de nós quando se utilizou 2,0 mg L-1 de ANA.

PALAVRAS-CHAVE: Orchidaceae; orquídea; micropropagação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tatiana Vieira Ramos

2. Programa de Pós-Graduação em Agronomia, Escola de Agronomia e Engenharia de Alimentos, Universidade Federal
(EA-UFG), Caixa Postal 131, CEP 74001-970 Goiânia, GO. E-mail: tati_vieira@pop.com.br

Downloads

Publicado

09-10-2007

Como Citar

RAMOS, T. V.; CARNEIRO, I. F. MULTIPLICAÇÃO “IN VITRO” DE Cattleya x mesquitae PELO MÉTODO DE ESTIOLAMENTO DE SEGMENTOS CAULINARES. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 37, n. 1, p. 10–15, 2007. Disponível em: https://revistas.ufg.br/pat/article/view/1840. Acesso em: 7 out. 2022.

Edição

Seção

Artigo Científico