Qualidade fisiológica de sementes de girassol avaliadas por condutividade elétrica

Autores

  • Fabrícia Nascimento de Oliveira Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa)
  • Salvador Barros Torres Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn)
  • Francisco Elvis Ramos Vieira Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa)
  • Emanoela Pereira de Paiva Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa)
  • Alek Sandro Dutra Universidade Federal do Ceará (UFC)

Palavras-chave:

Helianthus annuus L., potencial fisiológico, germinação.

Resumo

A avaliação da qualidade fisiológica de sementes é essencial em programas de controle de qualidade. Neste sentido, testes de vigor têm sido desenvolvidos para diferenciar lotes de sementes, devido às limitações do teste de germinação. Esta pesquisa objetivou avaliar a eficiência do teste de condutividade elétrica na determinação da qualidade fisiológica de sementes de girassol. Foram utilizados dez lotes de sementes de girassol das cultivares Catissol e Multissol. Inicialmente, determinou-se a qualidade dos lotes, mediante testes de germinação, primeira contagem e emergência de plântulas, em casa-de-vegetação, além do teor de água das sementes. Em seguida, as sementes foram submetidas ao teste de condutividade elétrica, em quatro períodos de embebição (6, 12, 18 e 24 horas), utilizando-se copos plásticos descartáveis contendo 25 e 50 sementes, em 50 mL e 75 mL de água deionizada, a 25°C e 30°C. O delineamento utilizado foi o inteiramente casualizado, em esquema fatorial 5x4 (cinco lotes e quatro períodos de embebição), separadamente para cada cultivar, com quatro repetições. Concluiu-se que o teste de condutividade elétrica utilizando a combinação de 25°C, 75 mL de água deionizada e 50 sementes foi suficientemente sensível para avaliar a qualidade fisiológica das sementes de girassol.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabrícia Nascimento de Oliveira, Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa)

Agrônoma, doutoranda do Curso de Pós-Graduação em Fitotecnia da UFERSA.

Salvador Barros Torres, Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn)

Engenheiro agronômo, Dr., Professor e Pesquisador da EMPARN/UFERSA

Francisco Elvis Ramos Vieira, Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa)

Agrônomo, M.Sc., Fitotecnia, UFERSA.

Emanoela Pereira de Paiva, Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa)

Agrônoma, mestranda do Curso de Pós-Graduação em Horticultura Tropical.

Alek Sandro Dutra, Universidade Federal do Ceará (UFC)

Agrônomo, Prof. Dr. do Centro de Ciências Agrárias da UFC

Downloads

Publicado

11-09-2012

Como Citar

OLIVEIRA, F. N. de; TORRES, S. B.; VIEIRA, F. E. R.; PAIVA, E. P. de; DUTRA, A. S. Qualidade fisiológica de sementes de girassol avaliadas por condutividade elétrica. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 42, n. 3, p. 279–287, 2012. Disponível em: https://revistas.ufg.br/pat/article/view/17793. Acesso em: 22 jul. 2024.

Edição

Seção

Produção Vegetal