Morfometria de Tripomastigotas Sanguíneos de Trypanosoma cruzi Chagas, 1909 (Kinetoplastidae, Trypanosomatidae)

Autores

  • Luciamáre Perinetti Alves Martins
  • Roberto Esteves Pires Castanho
  • Alex Silva de Gusmão
  • João Aristeu da Rosa

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpt.v37i2.5045

Palavras-chave:

Doença de Chagas, Trypanosoma cruzi, Tripomastigotas, Morfometria.

Resumo

Este estudo teve por objetivo produzir subsídios numéricos para auxiliar a caracterização das formas tripomastigotas de Trypanosoma cruzi quanto às suas dimensões, em razão da dificuldade para classificá-las apenas por seu fenótipo morfológico observado na visualização microscópica. Foi realizado, então, um estudo experimental em 150 formas tripomastigotas, obtidas de cinco cepas de T. cruzi recentemente isoladas, aplicando-se um tratamento estatístico e matemático. Os resultados mostraram que existe forte correlação entre as variáveis comprimento (C) e largura (L), sendo possível definir intervalos para agrupá-las segundo o coeficiente C/L. Assim, as formas pequenas apresentaram C/L menor ou igual a 7,06, as médias apresentaram C/L maior que 7,06 e menor que 8,12 e as grandes apresentaram C/L maior ou igual a 8,12.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2008-11-06

Como Citar

MARTINS, L. P. A.; CASTANHO, R. E. P.; GUSMÃO, A. S. de; DA ROSA, J. A. Morfometria de Tripomastigotas Sanguíneos de Trypanosoma cruzi Chagas, 1909 (Kinetoplastidae, Trypanosomatidae). Revista de Patologia Tropical / Journal of Tropical Pathology, Goiânia, v. 37, n. 2, p. 143–150, 2008. DOI: 10.5216/rpt.v37i2.5045. Disponível em: https://revistas.ufg.br/iptsp/article/view/5045. Acesso em: 11 ago. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS / ORIGINAL ARTICLES