A GRAMÁTICA DA PSICANÁLISE

Autores

  • João José Rodrigues Lima de Almeida UNICAMP

DOI:

https://doi.org/10.5216/phi.v13i2.6836

Palavras-chave:

Wittgenstein, Lacan, gramática, terapia conceitual.

Resumo

Este artigo faz a defesa de uma filosofia da psicanálise que não interfira na autonomia da disciplina que analisa. Para tanto, propõe o método filosófico wittgensteiniano e faz uma breve exposição dos conceitos de gramática, descrição gramatical e terapia em seu contexto literário original. A seguir, esses conceitos terapêuticos são aplicados a um caso de uso de conceitos psicanalíticos num texto do Seminário XV, de Lacan, para servir como exemplo prático para a proposta de um projeto de investigação filosófica do corpus textual lacaniano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João José Rodrigues Lima de Almeida, UNICAMP

Professor Adjunto do Departamento de Ciências Humanas da Universidade Federal de Lavras. Doutor em Filosofia pela Unicamp.

Downloads

Publicado

2009-12-21

Como Citar

DE ALMEIDA, J. J. R. L. A GRAMÁTICA DA PSICANÁLISE. Philósophos - Revista de Filosofia, Goiânia, v. 13, n. 2, p. 61–83, 2009. DOI: 10.5216/phi.v13i2.6836. Disponível em: https://revistas.ufg.br/philosophos/article/view/6836. Acesso em: 19 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais