SENSIBILIDADE ESTÉTICA E SENTIMENTO RELIGIOSO NA FILOSOFIA DE MAX HORKHEIMER'S (pelos trinta anos de morte de Horkheimer)

Autores

  • Rafael Cordeiro Silva UFU

DOI:

https://doi.org/10.5216/phi.v10i1.3232

Resumo

Pretende-se investigar a estética e a religião na filosofia de Max Horkheimer, enquanto instâncias de crítica à ordem estabelecida e à imagem de uma sociedade possível ainda não realizada. Mesmo não tendo desenvolvido um pensamento estético de grande envergadura, como foram os casos de Adorno e Marcuse, suas esparsas considerações sobre a relação entre arte e sociedade coincidiram, durante longo período, com as de seus dois colegas do Instituto de Pesquisa Social. Ou seja, a arte autêntica é conhecimento e crítica à sociedade estabelecida. Por sua vez, a religião, embora seja um sentimento verdadeiro, é posta em um nível inferior e concebida como refúgio para os miseráveis, dentro da tradição marxista na qual o filósofo se inserira inicialmente. Ao final da vida, porém, Horkheimer pareceu mais inclinado a considerar que, no mundo administrado, apenas o sentimento religioso cumpria a condição de imagem de um mundo inteiramente outro. As razões para essa mudança de perspectiva podem ser buscadas na sua avaliação tardia sobre a relação entre arte e sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Cordeiro Silva, UFU

Departamento de Filosofia, UFU. Estética

Downloads

Publicado

2008-01-24

Como Citar

SILVA, R. C. SENSIBILIDADE ESTÉTICA E SENTIMENTO RELIGIOSO NA FILOSOFIA DE MAX HORKHEIMER’S (pelos trinta anos de morte de Horkheimer). Philósophos - Revista de Filosofia, Goiânia, v. 10, n. 1, 2008. DOI: 10.5216/phi.v10i1.3232. Disponível em: https://revistas.ufg.br/philosophos/article/view/3232. Acesso em: 26 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais