O PAPEL DAS POLÍTICAS PÚBLICAS E O DESENVOLVIMENTO REGIONAL NO BRASIL: DO PARADIGMA MENTALISTA AO LINGUÍSTICO - DOI 10.5216/bgg.V30i2.13284

Autores

  • Rosalvo Nobre Carneiro Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.5216/bgg.v30i2.13801

Resumo

 

O papel das políticas públicas no desenvolvimento regional é analisado neste artigo, tomando por base dois grandes paradigmas científicos: o da subjetividade, ou mentalista, e o da intersubjetividade, ou linguístico. Defende- -se que as políticas públicas e o desenvolvimento regional brasileiro têm se dado historicamente com base no primeiro paradigma e, só bem recentemente, adotado o segundo em algum momento da implantação dessas políticas. As politicas públicas de cunho mentalista, a que chamamos aqui de instrumentais, são subdivididas em desenvolvimentistas e neoliberais, ao passo que as politicas públicas linguísticas são vistas como comunicativas, isto é, com base na ação orientada para o entendimento mútuo, livre de coação. Trata-se de um trabalho de cunho teórico-metodológico, baseado nas abordagens desenvolvidas pelo filósofo Jürgen Habermas. A inclusão da teoria da ação comunicativa às questões espaciais pode contribuir para pensar o desenvolvimento regional como um modo de subordinação da economia à sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-04-05

Como Citar

NOBRE CARNEIRO, R. O PAPEL DAS POLÍTICAS PÚBLICAS E O DESENVOLVIMENTO REGIONAL NO BRASIL: DO PARADIGMA MENTALISTA AO LINGUÍSTICO - DOI 10.5216/bgg.V30i2.13284. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 30, n. 2, p. 113–123, 2011. DOI: 10.5216/bgg.v30i2.13801. Disponível em: https://revistas.ufg.br/bgg/article/view/13801. Acesso em: 22 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos