A etiopatogênese do processo de Restrição de Crescimento Intra-Uterino: um estudo bibliográfico

Autores

  • Ana Karina Marques Salge Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Enfermagem
  • Fernanda Alves de Oliveira Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Enfermagem
  • Hélina Augusta Marques Barbosa Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Enfermagem
  • Daiane Lima Bandeira de Morais Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Enfermagem
  • Aline Vaz da Costa Vieira Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Enfermagem
  • Anne Kelly Araújo Aguiar Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Enfermagem
  • Seyssa Cristina Pereira e Silva Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Enfermagem
  • Ardála Santos Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Enfermagem
  • Raphaela Maioni Xavier Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Enfermagem
  • Rosana Rosa Miranda Corrêa Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Enfermagem
  • Renata Rossi Calciolari e Silva Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Enfermagem
  • Janaína Valadares Guimarães Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Enfermagem

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v10i1.8013

Palavras-chave:

Enfermagem pediátrica, Gestação, Prematuridade, Retardo do crescimento fetal.

Resumo

Revisão bibliográfica, realizada junto aos bancos de dados MEDLINE, SciELO,  ScienceDirect e LILACS, com o objetivo de identificar a produção científica na área de saúde sobre os principais fatores envolvidos na etiopatogênese do processo de Restrição de Crescimento Intra-Uterino (RCIU), entre os anos de 1990 e 2008. A RCIU constitui a segunda causa de mortalidade perinatal. O recém-nascido com RCIU possui um aumento de duas a dez vezes nas porcentagens habituais de mortalidade perinatal e apresenta complicações associadas à prematuridade. A morbidade está diretamente relacionada às alterações metabólicas e imunológicas, desacelerações cardíacas, acidose fetal, baixo Índice de Apgar, hipóxia, hipoglicemia, hipotermia, asfixia, coagulação intravascular disseminada, hemorragia intracraniana e aspiração meconial. A identificação das principais alterações maternas, fetais e neonatais envolvidas no processo de RCIU é de fundamental importância para o planejamento de ações de prevenção e melhora da qualidade da assistência de enfermagem prestada às gestantes no pré-natal, pré-parto, parto e puerpério, bem como ao recém-nascido com RCIU durante o período neonatal.

Palavras chave: Enfermagem pediátrica; Gestação; Prematuridade; Retardo do crescimento fetal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

01/11/2009

Como Citar

1.
Salge AKM, Oliveira FA de, Barbosa HAM, Morais DLB de, Vieira AV da C, Aguiar AKA, Silva SCP e, Santos A, Xavier RM, Corrêa RRM, Silva RRC e, Guimarães JV. A etiopatogênese do processo de Restrição de Crescimento Intra-Uterino: um estudo bibliográfico. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 1º de novembro de 2009 [citado 23º de maio de 2022];10(1). Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/8013

Edição

Seção

Artigo de Revisão