Serviços residenciais terapêuticos: novos desafios para a organização das práticas de saúde mental em Cuiabá-MT

Autores

  • Alice Guimarães Bottaro de Oliveira Universidade Federal do Mato Grosso, Faculdade de Enfermagem
  • Marta Ester Conciani

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v10i1.8009

Palavras-chave:

Saúde mental, Gestão em saúde, Serviços de saúde mental, Atenção à saúde, Participação social.

Resumo

Com a Reforma Psiquiátrica tornou-se visível uma demanda de cuidados até então inexistente de pessoas que após muito tempo de internação haviam se tornado “pacientes moradores” de hospitais psiquiátricos. Em Cuiabá-MT o descredenciamento de um hospital resultou na criação de 10 Residências Terapêuticas (SRT), atendendo 82 pessoas. Analisar a experiência de implantação e seus determinantes locais e nacionais, na sua relação com o movimento de Reforma Psiquiátrica foi o objetivo dessa investigação. Estudo documental, realizado a partir de documentos oficiais dos três níveis de gestão, informações da mídia local e trabalhos acadêmicos, no período 2000 a 2005. A análise dos dados resultou em duas categorias: o processo de gestão e a autonomia dos moradores. O descredenciamento do hospital e criação de SRT ocorreu por decisão de gestão municipal centralizada e a autonomia dos moradores é influenciada pelos mesmos instrumentos centralizadores. Os SRT podem representar, por um lado, um importante passo em direção à Reforma Psiquiátrica, por outro, na ausência de participação social, podem ser reduzidos à racionalização de custos e pouco efetivos para a reabilitação psicossocial dos moradores.

Palavras chave: Saúde mental; Gestão em saúde; Serviços de saúde mental; Atenção à saúde; Participação social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

01/11/2009

Como Citar

1.
Oliveira AGB de, Conciani ME. Serviços residenciais terapêuticos: novos desafios para a organização das práticas de saúde mental em Cuiabá-MT. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 1º de novembro de 2009 [citado 7º de julho de 2022];10(1). Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/8009

Edição

Seção

Artigo Original