Tempo de plantar e tempo de colher: as representações sociais de profissionais de saúde e idosos sobre o processo de envelhecimento

Autores

  • Elizete Maria Bachi Comerlato UNIGRAN
  • Iraci Guimarães
  • Elioenai Dornelles Alves Universidade de Brasília, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v9i3.7481

Palavras-chave:

Envelhecimento, Psicologia em Saúde, Qualidade de vida

Resumo

 O Brasil vive um processo de transição demográfica pelo aumento da longevidade do ser humano. Este estudo descritivo qualitativo investiga as relações entre as visões compartilhadas e a prática dos profissionais de saúde neste processo, no município de Dourados/MS, no ano 2007. Foram entrevistados 10 participantes, profissionais de saúde e usuários dos serviços de atenção à saúde de idosos. Utilizou-se um software de análise de conteúdo. Os resultados mostram representações sociais divergentes entre as concepções dos participantes, apontando defasagem na assimilação das mudanças ocorridas na realidade do envelhecimento. A falta de qualificação especializada para o cuidado desta população interfere nas práticas de cuidar em saúde, uma vez que o conhecimento científico não se encontra integrado à realidade social. Destacamos a relevância de que os resultados encontrados contribuam para que o conhecimento adquirido acompanhe a evolução da sociedade, como auxiliar no direcionamento de políticas de educação e saúde, integrando o universo consensual e reificado.

Palavras chave: Envelhecimento; Psicologia em Saúde; Qualidade de vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

17/09/2009

Como Citar

1.
Comerlato EMB, Guimarães I, Alves ED. Tempo de plantar e tempo de colher: as representações sociais de profissionais de saúde e idosos sobre o processo de envelhecimento. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 17º de setembro de 2009 [citado 27º de maio de 2022];9(3). Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/7481

Edição

Seção

Artigo Original