PREVALÊNCIA DE ESTAFILOCOCOS RESISTENTES À METICILINA EM PROFISSIONAIS DE SAÚDE DE UMA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA DE GOIÂNIA - GOIÁS

Autores

  • Ana Luiza Neto Junqueira Faculdade de Enfermagem

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v4i1.737

Resumo

RESUMO: Os estafilococos resistentes à meticilina (MRS) são importantes patógenos nosocomiais. Os profissionais de saúde têm um alto risco de exposição a este microrganismo. A unidade de terapia intensiva (UTI) é local de risco para as infecções por MRS. Este trabalho tem como objetivo isolar e identificar cepas de estafilococos de amostras de saliva e da narina de profissionais de saúde da UTI do Hospital de Urgências de Goiânia - Goiás, detectar cepas resistentes à meticilina/oxacilina, o gene mecA e propor medidas para controle de MRS em profissionais de saúde da UTI.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

21/12/2006

Como Citar

1.
Junqueira ALN. PREVALÊNCIA DE ESTAFILOCOCOS RESISTENTES À METICILINA EM PROFISSIONAIS DE SAÚDE DE UMA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA DE GOIÂNIA - GOIÁS. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 21º de dezembro de 2006 [citado 17º de maio de 2022];4(1). Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/737

Edição

Seção

Resumo