Aplicativo para rastreio de fragilidade: ferramenta de cuidado ao idoso na Atenção Primária à Saúde

Autores

  • Liliana Cruz de Souza Universidade Federal da Paraíba (UFPB), João Pessoa, Paraíba, Brasil, lilianacruzjp@yahoo.com.br. https://orcid.org/0000-0002-0897-5748
  • Greicy Kelly Gouveia Dias Bittencourt Universidade Federal da Paraíba (UFPB), João Pessoa, Paraíba, Brasil, greicykel@gmail.com. https://orcid.org/0000-0001-5287-8171
  • Selene Cordeiro Vasconcelos Universidade Federal da Paraíba (UFPB), João Pessoa, Paraíba, Brasil, selene.cordeiro@academico.ufpb.br. https://orcid.org/0000-0002-8828-1251
  • Renata Rabelo Pereira Universidade Federal da Paraíba (UFPB), João Pessoa, Paraíba, Brasil, renatarabelo@hotmail.com. https://orcid.org/0000-0002-3916-1560
  • Evillane Araújo Santos Centro Universitário de João Pessoa (UNIPE), João Pessoa, Paraíba, Brasil, evillanearaujo@hotmail.com. https://orcid.org/0000-0001-5144-0215
  • Maria de Lourdes de Farias Pontes Universidade Federal da Paraíba (UFPB), João Pessoa, Paraíba, Brasil, profa.lourdesponte@gmail.com.

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v24.70526

Palavras-chave:

Fragilidade, Idoso, Atenção Primária à Saúde, Avaliação em Saúde, Tecnologia

Resumo

Objetivo: Desenvolver aplicativo de rastreio de fragilidade em idosos na Atenção Primária à Saúde e validar, semanticamente, com profissionais de saúde. Método: Estudo metodológico, realizado de fevereiro a março de 2021, por meio de validação semântica, com 75 enfermeiros e 44 médicos da Estratégia Saúde da Família dos 25 municípios da 2ª Região de Saúde do Estado da Paraíba e construção de aplicativo móvel denominado APS para Idosos Frágeis, para uso em sistema Android, com linguagem de programação HTML, Java Script, CSS, PHP, Framework IONIC e modelo de produção MVC. Resultado: Entre as 42 variáveis presentes no instrumento de validação semântica foram selecionadas 20 variáveis para compor o aplicativo, formado por quatro Dimensões: Fisiológica, Funcional, Biopsicossocial, Cognitiva. Conclusão: O aplicativo possibilita a avaliação multidimensional do idoso na Atenção Primária à Saúde. Entende-se que o diagnóstico precoce da fragilidade proporciona estabilização do quadro clínico, diminuindo risco de hospitalização, morte e encaminhamentos para atenção especializada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Junius-Walker U, Onder G, Soleymani D, Wiese B, Albaina O, Bernabei R, et al. The essence of frailty: a systematic review and qualitative synthesis on frailty concepts and definitions. Eur J Intern Med [Internet]. 2018 [acesso em: 15 set. 2021];56:3-10. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.ejim.2018.04.023.

Collard RM, Boter H, Schoevers RA, Oude Voshaar RC. Prevalence of frailty in community-dwelling older persons: a systematic review. J Am Geriatr Soc [Internet]. 2012 Ago [acesso em: 15 set. 2021];60(8):1487-92. Disponível em: https://doi.org/10.1111/j.1532-5415.2012.04054.x.

Cunha AIL, Veronese N, Melo Borges S, Ricci NA. Frailty as a predictor of adverse outcomes in hospitalized older adults: A systematic review and meta-analysis. Ageing Res Rev [Internet]. 2019 Dez [acesso em: 14 set. 2021];56:100960. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.arr.2019.100960.

Freitas CMN, Almonfrey FB, Sepulvida MBC, Miranda RD. Terapia anticoagulante no idoso: foco na fibrilação atrial. Rev Soc Cardiol [Internet]. 2017 [acesso em: 14 set. 2021];27(3):243-50. Disponível em: http://doi.org/10.29381/0103-8559/20172703243-50.

Soysal P, Veronese N, Thompson T, Kahl KG, Fernandes BS, Prina AM, Solmi M, Schofield P, Koyanagi A, Tseng PT, Lin PY, Chu CS, Cosco TD, Cesari M, Carvalho AF, Stubbs B. Relationship between depression and frailty in older adults: A systematic review and metaanalysis. Ageing Res Rev [Internet]. 2017 Jul [acesso em: 13 set. 2021];36:78-87. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.arr.2017.03.005.

Kojima G, Iliffe S, Jivraj S, Walters K. Association between frailty and quality of life among communitydwelling older people: a systematic review and metaanalysis. J Epidemiol Community Health [Internet]. 2016 Jul [acesso em: 16 set. 2021];70(7):716-21. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1136/jech-2015-206717.

Hajek A, Bock J-O, Saum K-U, Matschinger H, Brenner H, Holleczek B, et al. Fragilidade e custos de saúde: resultados longitudinais de um estudo de coorte prospectivo. Age and Ageing [Internet]. 2017 [acesso em: 13 set. 2021];47:233-41. Disponível em: https://doi.org/10.1093/ageing/afx157.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 2.528, de 19 de outubro de 2006. Aprova a Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa [Internet]. Brasília (DF): 2006 [acesso em: 04 out. 2021]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2006/prt2528_19_10_2006.html.

Berlezi EM, Gross CB, Pimentel JJ, Pagno AR, Fortes CK, Pillatt AP. Estudo do fenótipo de fragilidade em idosos residentes na comunidade. Ciênc Saúde Coletiva [Internet]. 2019 [acesso em: 29 set. 2021];24(11):4201-10. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-812320182411.31072017.

Silva RH, Gatti MAN, Marta SN, Marafon RGC, Neto GGG, Andrade EBO, et al. Aplicativos de saúde para dispositivos móveis: uma revisão integrativa Braz J Hea Rev [Internet]. 2020 [acesso em: 17 set. 2021];3(5):11754-65. Disponível em: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n5-033.

Santos TS, Brito TA, Filho FSY, Guimarães LA, Souto CS, Souza SJN, et al. Desenvolvimento de aplicativo para dispositivos móveis voltado para identificação do fenótipo de fragilidade em idosos. Rev Bras Geriatr Gerontol [Internet]. 2017 [acesso em: 17 set. 2021];20(1):70-6. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1981-22562017020.160025.

Polit DF, Beck CT. Fundamentos de pesquisa em enfermagem: avaliação de evidências para a prática da enfermagem. 9ª ed. Porto Alegre: Artmed; 2019.

Mendes KDS, Silveira RCCP, Galvão CM. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enferm [Internet]. 2008 [acesso em: 08 maio 2020];17(4):758-64. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0104-07072008000400018.

Dalmoro M, Vieira KM. Dilemas na construção de escalas tipo likert: o número de itens e a disposição influenciam nos resultados? RGO Revista Gestão Organizacional [Internet]. 2013 [acesso em: 18 set. 2021];6(3):161-74. Disponível em: https://doi.org/10.22277/rgo.v6i3.1386.

Placideli N, Castanheira ERL, Dias A, Silva PA, Carrapato JLF, Sanine PR, et al. Avaliação da atenção integral ao idoso em serviços de atenção primária. Rev Saúde Pública [Internet]. 2020 [acesso em: 01 nov. 2020];54(6):1-14. Disponível em: https://doi.org/10.11606/s1518-8787.2020054001370.

Trindade CS, Kato SK, Gurgel LG, Reppold CTl. Processo de Construção e Busca de Evidências de Validade de Conteúdo da Equalis – OAS. Avaliação Psicológica [Internet]. 2018 [acesso em: 15 abr. 2021];17(2):271-7. Disponível em: http://doi.org/10.15689/ap.2018.1702.14501.13.

Alcântara RKL, Cavalcante MLSN, Fernandes BKC, Lopes VM, Leite SFP, Borges CL. Perfil sociodemográfico e de saúde de idosos institucionalizados. Rev Enferm UFPE on line [Internet]. 2019 [acesso em: 16 abr. 2021];13(3):674-9. Disponível em: https://doi.org/10.5205/1981-8963-v13i03a237384p674-679-2019.

Fhon JRS, Rodrigues RAP, Santos, JLF, Diniz MA, Santos EB, Almeida VC, et al. Fatores associados à fragilidade em idosos: estudo longitudinal. Revista de Saúde Pública [Internet]. 2018 [acesso em: 25 set. 2021];52(74):1-8. Disponível em: https://doi.org/10.11606/S1518-8787.2018052000497.

Melo EMA, Oliveira AP, Leal MCA, Melo HMA. Síndrome da fragilidade e fatores associados em idosos residentes em instituições de longa permanência. Saúde Debate [Internet]. 2018 [acesso em: 19 abr. 2021];42(117):468-80. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0103-1104201811710.

Maia LC, Moraes EN, Costa SM, Caldeira AP. Fragilidade em idosos assistidos por equipes da atenção primária. Ciên Saúde Colet [Internet]. 2020 [acesso em: 22 set. 2021];25(12):5041-50. Disponível em: http://doi.org/10.1590/1413-812320202512.04962019.

Grden CRB, Sousa JAV, Cabral LPA, Reche PM, Bordin D, Borges PKO. Síndrome da fragilidade e o uso de tecnologias assistivas em idosos. R Pesq Cuid Fundam [Internet]. 2020 [acesso em: 21 abr. 2021];12:499-504. Disponível em: https://doi.org/10.9789/2175-5361.rpcfo.v12.8594.

Souza DS, Berlese DB, Cunha GL, Cabral SM, Santos GAS. Análise da relação do suporte social e da síndrome de fragilidade em idosos. Psicologia, Saúde & Doenças [Internet]. 2017 [acesso em: 22 abr. 2021];18(2):420-33. Disponível em: http://doi.org/10.15309/17psd180211.

Júnior FBA, Machado ITJ, Santos-Orlandi AA, PergolaMarconato AM, Pavarini SCL, Zazzetta MS. Fragilidade, perfil e cognição de idosos residentes em área de alta vulnerabilidade social. Ciên Saúde Coletiva [Internet]. 2019 [acesso em: 16 abr. 2021];24(8):3047-55. Disponível em: https://doi.10.1590/1413-81232018248.2641201.

Publicado

29/07/2022

Como Citar

1.
Souza LC de, Bittencourt GKGD, Vasconcelos SC, Pereira RR, Santos EA, Pontes M de L de F. Aplicativo para rastreio de fragilidade: ferramenta de cuidado ao idoso na Atenção Primária à Saúde. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 29º de julho de 2022 [citado 28º de setembro de 2022];24:70526. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/70526

Edição

Seção

Artigo Original