Barreiras arquitetônicas no percurso do deficiente físico aos hospitais de Sobral, Ceará

Autores

  • Paulo César de Almeida Universidade Estadual do Ceará
  • Antonia Eliana de Araújo Aragão
  • Lorita Marlena Freitag Pagliuca Universidade Federal do Ceará
  • Kátia Nêyla de Freitas Macêdo

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v8i2.7035

Palavras-chave:

Barreiras arquitetônicas, Pessoas portadoras de deficiência, Acesso aos serviços de saúde.

Resumo

Estudo quantitativo sobre barreiras arquitetônicas no percurso do deficiente físico aos hospitais de Sobral, Ceará, com o objetivo de identificar as condições de acesso arquitetônico dos portadores de deficiência física aos quatro hospitais da mencionada cidade. Apoiado na NBR 9050 da ABNT utilizou instrumento tipo cheque-lista, cuja coleta de dados ocorreu em maio de 2004. A análise estatística constatou ausência de faixas para pedestres e apenas um apresentava rebaixamento de meio-fio em pontos estratégicos; obras públicas e particulares, desprotegidas de tapumes; calçadas com buracos e desnivelamento; metade das avenidas livres de buracos ; placas de sinalização de trânsito visíveis em três dos hospitais; percurso para a instituição sinalizado; mas não há semáforos em pontos estratégicos. Um hospital possui rebaixamento de guias; ausência de estacionamento para pessoa portadora de deficiência física. Conforme se concluiu, há barreiras arquitetônicas no percurso casa/hospital. Com isso os hospitais requerem melhores estruturas com vistas a minimizar as barreiras arquitetônicas no percurso do deficiente físico a esses serviços.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

28/08/2009

Como Citar

1.
Almeida PC de, Aragão AE de A, Pagliuca LMF, Macêdo KN de F. Barreiras arquitetônicas no percurso do deficiente físico aos hospitais de Sobral, Ceará. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 28º de agosto de 2009 [citado 6º de julho de 2022];8(2). Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/7035

Edição

Seção

Artigo Original