CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA: DESAFIOS E PERSPECTIVAS

Autores

  • Milca Severino PEREIRA Faculdade de Enfermagem
  • Marinésia Aparecida do PRADO Faculdade de Enfermagem
  • Joaquim Tomé de SOUSA Faculdade de Enfermagem
  • Anaclara Ferreira Veiga TIPPLE Faculdade de Enfermagem
  • Adenícia Custódia Silva e SOUZA Faculdade de Enfermagem

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v2i1.679

Resumo

RESUMO: Diversos estudos apontam as infecções hospitalares como as mais freqüentes complicações do tratamento em UTI. Fundamentando-nos nas preocupações de enfermeiros realizamos o estudo tendo como objetivos: relatar os fatores dificultadores do controle de infecção e indicar aspectos a serem considerados na assistência. Metodologia: pesquisa realizada em UTI de 3 hospitais. Os dados foram obtidos através de questionário e observação, ambos validados previamente. Foi realizado análise de conteúdo. Resultados: Destacam-se os itens relacionados ao planejamento da assistência, princípios que regem a prevenção e controle de infecção, interação entre a equipe e desafios mencionados pelos enfermeiros. Conclusão: conquanto ser bastante complexo o processo de planejamento, implementação e avaliação dos cuidados atinentes ao controle de infecção hospitalar em UTI, dada a multiplicidade de fatores intervenientes, os enfermeiros identificaram os principais aspectos que devem merecer atenção e destaque. A lavagem das mãos continua sendo um desafio a ser superado. UNITERMOS: Infecção Hospitalar, Unidade de Terapia Intensiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

14/12/2006

Como Citar

1.
PEREIRA MS, PRADO MA do, SOUSA JT de, TIPPLE AFV, SOUZA ACS e. CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA: DESAFIOS E PERSPECTIVAS. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 14º de dezembro de 2006 [citado 5º de julho de 2022];2(1). Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/679

Edição

Seção

Artigo Original