VIVENCIANDO OS DESAFIOS DO TRABALHO EM GRUPO

Autores

  • Michella F. B. Câmara Faculdade de Enfermagem
  • Virgínia Faria Damásio Faculdade de Enfermagem
  • Denize Bouttelet Munari Faculdade de Enfermagem

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v1i1.661

Resumo

RESUMO - O trabalho em grupo é uma realidade no cotidiano do trabalho do enfermeiro, sendo vivenciado em todo o período da sua formação acadêmica, porém é necessário buscar uma maior reflexão sobre esse tipo de trabalho, para podermos utilizá-lo de uma forma mais consciente, reflexiva e efetiva. Acreditamos ser de extrema importância os estudos referentes ao trabalho grupal enquanto estratégia aplicada na assistência de Enfermagem, para que tenhamos cada vez mais claro os seus fundamentos. Pesquisa desenvolvida com base na abordagem qualitativa, onde trabalhamos com três grupos de gestantes, na periferia do Município de Goiânia. Utilizamos para a coleta de dados a observação participante e registros escritos. Verificamos ao longo do desenvolvimento dos grupos, que os seus objetivos são atingidos de forma mais adequada quando seus membros tomam para si a responsabilidade de torná-lo uma experiência significativa, tendo a compreensão da importância de sua participação. Trabalhar com o grupo e vivenciar sua trajetória podendo refletir sobre seus movimentos é fundamental para apreendermos o papel de coordenador de atividades grupais, suas dificuldades e desafios. O desenvolvimento teórico-prático, a reflexão e a experiência concreta no trabalho grupal, nos possibilita afirmar que esse é um caminho que viabiliza a aprendizagem acerca do grupo e de seus benefícios enquanto estratégia para o trabalho da enfermagem. Palavras Chaves: 1)grupos de gestantes 2)trabalho grupal 3)enfermagem

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

14/12/2006

Como Citar

1.
Câmara MFB, Damásio VF, Munari DB. VIVENCIANDO OS DESAFIOS DO TRABALHO EM GRUPO. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 14º de dezembro de 2006 [citado 24º de maio de 2022];1(1). Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/661

Edição

Seção

Artigo Original