Amamentação na primeira hora de vida entre mulheres do Nordeste brasileiro: prevalência e fatores associados

Autores

  • Alyne Santana de Jesus Universidade Federal de Sergipe (UFS), São Cristóvão, Sergipe, Brasil, alyne.ufs@outlook.com
  • Monyelle Yonara Ferreira Santos Universidade Federal de Sergipe (UFS), São Cristóvão, Sergipe, Brasil, mony.yofersan@gmail.com
  • José Marcos de Jesus Santos Universidade de São Paulo (USP), Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil, jsmarcos@usp.br https://orcid.org/0000-0001-5122-1469
  • Carla Kalline Alves Cartaxo Freitas Universidade Federal de Sergipe (UFS), São Cristóvão, Sergipe, Brasil, carlakalline@gmail.com
  • Rosemar Barbosa Mendes Universidade Federal de Sergipe (UFS), São Cristóvão, Sergipe, Brasil, rosemarbm@uol.com.br https://orcid.org/0000-0002-4860-7413
  • Adriana Moraes Leite Universidade de São Paulo (USP), Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil, drileite@eerp.usp.br
  • Iellen Dantas Campos Verdes Rodrigues Universidade Federal de Sergipe (UFS), São Cristóvão, Sergipe, Brasil, iellendantas@hotmail.com

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v22.58772

Palavras-chave:

Aleitamento Materno, Enfermagem Obstétrica, Período Pós-Parto, Recém-Nascido, Estudos Epidemiológicos

Resumo

Objetivo: Identificar a prevalência e os fatores associados à amamentação na primeira hora de vida. Método: Estudo transversal realizado entre março e julho de 2018 com 655 puérperas de Lagarto, Sergipe, Brasil. Utilizou-se o Qui-quadrado e Razão de Prevalência. Resultado: A prevalência da amamentação na primeira hora de vida foi de 45,5%, sendo maior entre as mulheres que planejaram a gravidez (RP= 1,26; IC95% 1,06-2,01), realizaram o pré-natal no serviço público (RP= 1,34; IC95% 1,01-2,10) e receberam orientações sobre a sua importância (RP= 1,35; IC95% 1,08-1,96). A parturição no serviço público (RP= 2,59; IC95% 1,89-4,38), o parto vaginal (RP 2,46; IC95% 1,65-5,04) e o contato pele a pele (RP= 2,60; IC95% 2,10-5,10) mostraram-se associadas à amamentação. Conclusão: A prevalência da amamentação na primeira hora de vida está aquém das recomendações da Organização Mundial de Saúde e associada a variáveis da gravidez, parturição e nascimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Boccolini CS, Carvalho ML, Oliveira MIC, Pérez- Escamilla R. A amamentação na primeira hora de vida e mortalidade neonatal. Rev Soc Bol Ped [Internet]. 2015 [access at: Nov. 02, 2019];54(3):141-7. Available at: http://www.scielo.org.bo/pdf/rbp/v54n3/v54n3_a05.pdf.

Victora CG, Bahl R, Barros AJD, França GVA, Horton S, Krasevec J, et al. Breastfeeding in the 21st century: epidemiology, mechanisms, and lifelong effect. The Lancet Journal [Internet]. 2016 [access at: Nov. 02, 2019];387(10017):475-90. Available at: https://www.thelancet.com/journals/lancet/article/PIIS0140-6736(15)01024-7/fulltext. https://doi.org/10.1016/S0140-6736(15)01024-7.

Silva JLP, Linhares FMP, Barros AA, Souza AG, Alves DS, Andrade PON. Fatores associados ao aleitamento materno na primeira hora de vida em um hospital amigo da criança. Texto Contexto Enferm [Internet]. 2018 [access at: Nov. 02, 2019];27(4): e4190017. Available at: http://www.scielo.br/pdf/tce/v27n4/0104-0707-tce-27-04-e4190017.pdf. https://doi.org/10.1590/0104-07072018004190017.

Silva CM, Pellegrinelli ALR, Pereira SCL, Passos IR, Santos LC. Práticas educativas segundo os “Dez passos para o sucesso do aleitamento materno” em um Banco de Leite Humano. Ciênc Saúde Coletiva [Internet]. 2017 [access at: Feb. 17, 2019];22(5):1661-71. Available at: http://www.scielo.br/pdf/csc/v22n5/1413-8123-csc-22-05-1661.pdf. https://doi.org/10.1590/1413-81232017225.14442015.

Carvalho ML, Boccolini CS, Oliveira MIC, Leal MC. The baby-friendly hospital initiative and breastfeeding at birth in Brazil: a cross sectional study. Reprod Health [Internet]. 2016 [access at: Nov. 04, 2019];13(119). Available at: https://reproductive-health-journal.biomedcentral.com/articles/10.1186/s12978-016-0234-9. https://doi.org/10.1186/s12978-016-0234-9.

Costa EFG, Alves VH, Souza RMP, Rodrigues DP, Santos MV, Oliveira FL. Atuação do enfermeiro no manejo clínico da amamentação: estratégias para o aleitamento materno. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online [Internet]. 2018 [access at: Nov. 04, 2019];10(1):217-23. Available at: http://seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/5953. http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2018.v10i1.217-223.

Bezerra FD, Menezes MAS, Mendes RB, Santos JMJ, Leite DCF, Kassar SB, et al. Perinatal care in a Northeastern Brazilian state: structure, work processes, and evaluation of the components of essential newborn care. Rev Paul Pediatr [Internet]. 2019 [access at: Nov. 05, 2019];37(2):140-8. Available at: http://www.scielo.br/pdf/rpp/v37n2/pt_0103-0582-rpp-2019-37-2-00003.pdf. https://doi.org/10.1590/1984-0462/;2019;37;2;00003.

Ahmed AE, Salih OA. Determinants of the early initiation of breastfeeding in the Kingdom of Saudi Arabia. Int Breastfeed J [Internet]. 2019 [access at: Nov. 05, 2019]; 14(13). Available at: https://internationalbreastfeedingjournal.biomedcentral.com/articles/10.1186/s13006-019-0207-z#citeas. https://doi.org/10.1186/s13006-019-0207-z.

World Health Organization. Infant and young child feeding: a tool for assessing national practices, policies and programmes. Geneva: WHO; 2003. [access at: Nov. 04, 2019]. Available at: https://apps.who.int/iris/handle/10665/42794.

Sampaio ARR, Bousquat A, Barros C. Contato pele a pele ao nascer: um desafio para a promoção do aleitamento materno em maternidade pública no Nordeste brasileiro com o título de Hospital Amigo da Criança. Epidemiol Serv Saúde [Internet]. 2016 [access at: Nov. 05, 2019];25(2):281-90. Available at: http://www.scielo.br/pdf/ress/v25n2/2237-9622-ress-25-02-00281.pdf. https://doi.org/10.5123/S1679-49742016000200007.

Maranhão TA, Gomes KRO, Nunes LB, Moura LNB. Fatores associados ao aleitamento materno exclusivo entre mães adolescentes. Cad Saúde Colet [Internet]. 2015 [access at: Fev. 16, 2019];23(2):132-9. Available at: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414462X2015000200132&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/1414-462X201500020072.

Sá NNB, Gubert MB, Santos W, Santos LMP. Fatores ligados aos serviços de saúde determinam o aleitamento materno na primeira hora de vida no Distrito Federal, Brasil, 2011. Rev Bras Epidemiol [Internet]. 2016 [access at: Nov. 04, 2019];19(3):509- 24. Available at: http://www.scielo.br/pdf/rbepid/v19n3/1980-5497-rbepid-19-03-00509.pdf. https://doi.org/10.1590/1980-5497201600030004.

Rocha AF. Impacto da intenção de engravidar sobre a amamentação na primeira hora pós-parto [dissertação]. [Internet]. Teresina: Universidade Federal do Piauí; 2018. [access at: Fev. 21, 2019]. Available at: http://repositorio.ufpi.br/xmlui/bitstream/handle/123456789/1542/IMPACTO%20DA%20INTEN%C3%87%C3%83O%20DE%20ENGRAVIDAR%20SOBRE%20A%20AMAMENTA%C3%87%C3%83O%20NA%20PRIMEIRA%20HORA%20P%C3%93S-PARTO.pdf?sequence=1.

Vieira TO, Martins CC, Santana GS, Vieira GO, Silva LR. Intenção materna de amamentar: revisão sistemática. Ciênc Saúde Coletiva [Internet]. 2016 [access at: Nov. 05, 2019];21(12):3845-58. Available at: http://www.scielo.br/pdf/csc/v21n12/1413-8123-csc-21-12-3845.pdf. https://doi.org/10.1590/1413-812320152112.17962015.

Barbieri MC, Bercini LO, Brondani KJM, Ferrari RAP, Tacla MTGM, Sant’anna FL. Aleitamento materno: orientações recebidas no pré-natal, parto e puerpério. Semina: Ciências Biológicas e da Saúde [Internet]. 2015 [access at: Fev. 22, 2019];36(1):17-25. Available at: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/seminabio/article/view/16480/16920. https://doi.org/10.5433/1679-0367.2014v35n2p17.

Alves JS, Oliveira MIC, Rito RVVF. Orientações sobre amamentação na atenção básica de saúde e associação com o aleitamento materno exclusivo. Ciênc Saúde Coletiva [Internet]. 2018 [access at: Nov. 06, 2019];23(4):1077- 88. Available at: http://www.scielo.br/pdf/csc/v23n4/1413-8123-csc-23-04-1077.pdf. https://doi.org/10.1590/1413-81232018234.10752016.

Arruda GT, Barreto SC, Morin VL, Petter GN, Braz MM, Pivetta HMF. Existe relação da via de parto com a amamentação na primeira hora de vida? Revista Brasileira de Promoção da Saúde. [Internet]. 2018. [access at: Fev. 22, 2019];31(2):1-7. Available at: https://periodicos.unifor.br/RBPS/article/view/7321. https://doi.org/10.5020/18061230.2018.7321.

Hergessel NM, Lohmann PM. Aleitamento materno na primeira hora após o parto. Curso de Enfermagem, Universidade do Vale do Taquari [Internet]. [access at: Jan. 27, 2019]. Lajeado; 2018. Available at: https://www.univates.br/bdu/bitstream/10737/1785/1/2017NadirMariaHergessel.pdf.

Publicado

04/12/2020

Como Citar

1.
Jesus AS de, Ferreira Santos MY, Santos JM de J, Freitas CKAC, Mendes RB, Leite AM, Rodrigues IDCV. Amamentação na primeira hora de vida entre mulheres do Nordeste brasileiro: prevalência e fatores associados. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 4º de dezembro de 2020 [citado 21º de maio de 2024];22:58772. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/58772

Edição

Seção

Artigo Original