Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem em dissertações e teses brasileiras

Autores

  • Jorge Wilker Bezerra Clares Universidade Estadual do Ceará (UECE), Fortaleza, Ceará, Brasil, jorgewilker_clares@yahoo.com.br https://orcid.org/0000-0003-1635-8763
  • Maria Vilaní Cavalcante Guedes Universidade Estadual do Ceará (UECE), Fortaleza, Ceará, Brasil, vilani.guedes@globo.com https://orcid.org/0000-0002-6766-4376
  • Maria Célia de Freitas Universidade Estadual do Ceará (UECE), Fortaleza, Ceará, Brasil, celia.freitas@uece.br https://orcid.org/0000-0003-4487-1193

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v22.56262

Palavras-chave:

Enfermagem, Classificação, Terminologia, Pesquisa em Enfermagem, Educação de Pós-Graduação em Enfermagem

Resumo

Objetivou-se descrever o uso da Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem (CIPE®) em dissertações e teses desenvolvidas nos programas de pós-graduação stricto sensu brasileiros. Estudo documental e quantitativo, realizado a partir de teses e dissertações, publicadas de 2000 a 2018, nos catálogos do Centro de Estudos e Pesquisas em Enfermagem da Associação Brasileira de Enfermagem e no portal de periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Elegeram-se 26 teses e 92 dissertações. Verificou-se crescimento da produção acadêmica sobre a CIPE®, com predominância de estudos do tipo metodológico (36,1%), com abordagem quantitativa (89,8%), oriundos da região Nordeste (45,8%), voltados para a prática assistencial (88,2%), com temáticas relacionadas à saúde do adulto (45,3%), e descritores relacionados à Enfermagem. Os indicadores avaliados possibilitaram desvelar padrões de pesquisa e identificar tendências nos estudos de pós-graduação stricto sensu, que poderão direcionar a condução de novas investigações sobre a CIPE®.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Garcia TR (org.). Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem CIPE® versão 2017. Porto Alegre: Artmed; 2017.

Garcia TR, Nóbrega MML. A terminologia CIPE® e a participação do Centro CIPE® brasileiro em seu desenvolvimento e disseminação. Rev Bras Enferm [Internet]. 2013 [access at: Apr. 12, 2018];66(esp):142-50. Available at: https://www.scielo.br/pdf/reben/v66nspe/v66nspea18.pdf. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672013000700018.

Clares JWB, Freitas MC, Guedes MVC. Methodological approach for the development of terminology subsets ICNP®: an integrative review. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2014 [access at: Apr. 08, 2018];48(6):1115- 22. Available at: https://www.scielo.br/pdf/reeusp/v48n6/0080-6234-reeusp-48-06-1119.pdf. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-623420140000700021.

Coenen A, Kim TY. Development of terminology subsets using ICNP®. Intern J Med Inform [Internet]. 2010 [access at: Apr. 20, 2018];79(7):530-8. Available at: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S1386505610000729?via%3Dihuh. http://dx.doi.org/10.1016/j.ijmedinf.2010.03.005.

Mattei FD, Toniolo RM, Malucelli A, Cubas MR. Uma visão da produção científica internacional sobre a classificação internacional para a prática de enfermagem. Rev Gaúcha Enferm [Internet]. 2011 [access at: Apr. 30, 2018]; 32(4):823-31. Available at: https://www.scielo.br/pdf/rgenf/v32n4/v32n4a25.pdf. http://dx.doi.org/10.1590/S1983-14472011000400025.

Barra DCC, Dal Sasso GTM. The nursing process according to the International Classification for Nursing Practice: an integrative review. Texto Contexto Enferm [Internet]. 2012 [access at: Apr. 30, 2018];21(2):440-7. Available at: https://www.scielo.br/pdf/tce/v21n2/en_a24v21n2.pdf. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072012000200024.

Scochi CGS, Ferreira MA, Gelbcke FL. The year 2017 and the four-yearly evaluation of the Stricto Sensu Graduate Programs: investments and actions to continued progress. Rev Latino-Am Enfermagem [Internet]. 2017 [access at: Apr. 28, 2018];25:e2995. Available at: https://www.scielo.br/pdf/rlae/v25/0104-1169-rlae-25-e2995.pdf. http://dx.doi.org/10.1590/1518-8345.0000.2995.

Souza GLL. Ansiedade da hospitalização em crianças: análise conceitual [dissertação]. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba; 2014.

Nóbrega RV. Proposta de subconjunto terminológico da classificação internacional para a prática de enfermagem (CIPE®) para hipertensos na atenção básica [dissertação]. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba; 2012.

Medeiros ACT. Diagnósticos/resultados e intervenções de enfermagem para idosos: proposta de subconjunto terminológico da CIPE® [dissertação]. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba; 2011.

Araújo AA. Catálogo CIPE® para insuficiência cardíaca congestiva [dissertação]. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba; 2009.

Norat EM. Construção de nomenclatura de diagnósticos/resultados e intervenções de enfermagem para a clínica cirúrgica do HULW/UFPB [dissertação]. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba; 2009.

Carvalho MWA. Catálogo CIPE® para dor oncológica [dissertação]. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba; 2009.

Lima CLH. Construção de nomenclatura de intervenções de enfermagem para a clínica médica do HULW/UFPB [dissertação]. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba; 2008.

Albuquerque CCA. Termos de linguagem especial de enfermagem identificados em registros de uma unidade de terapia intensiva neonatal [dissertação]. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba; 2007.

Furtado LG. Construção de nomenclatura de diagnósticos de enfermagem para a clínica médica do HULW/UFPB [dissertação]. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba; 2007.

Bittencourt GKG. Significado e utilização para a prática profissional de termos atribuídos a ações de enfermagem [dissertação]. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba; 2006.

Beserra PJF. Significado e utilização para a prática profissional de termos atribuídos a fenômenos de enfermagem [dissertação]. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba; 2006.

Santos SMJ. Ações de enfermagem identificadas no projeto CIPESC/ABEn/ICN e utilizadas por

enfermeiros no cuidado de pacientes com AIDS [dissertação]. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba; 2002.

Meireles EML. Autocuidado e o adulto portador de asma: sistematização da assistência de enfermagem [dissertação]. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba; 2001.

Nascimento DM. Proposta de um subconjunto terminológico da CIPE® para clientes submetidos à prostatectomia [dissertação]. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba; 2013.

Furtado LG. Subconjunto terminológico da CIPE® para pessoas com diabetes mellitus na atenção especializada [tese]. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba; 2014.

Medeiros ACT. Validação do subconjunto terminológico da CIPE® para a pessoa idosa [tese]. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba; 2014.

Oliveira JMM. Diagnósticos, resultados e intervenções de enfermagem da CIPE® para a pessoa idosa institucionalizada [dissertação]. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba; 2014.

Silva LC. Diagnóstico de enfermagem para idosos no contexto de vulnerabilidades ao HIV/Aids [dissertação]. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba; 2015.

Cunha ACR. Validação da nomenclatura de diagnósticos, resultados e intervenções de enfermagem para a clínica cirúrgica do hospital universitário da UFPB [dissertação]. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba; 2017.

Carvalho CMG. Subconjunto terminológico da CIPE®, estruturado em ontologia, para o autocuidado da pessoa com estomia de eliminação intestinal [tese]. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba; 2018.

Santos MCF. Proposta de subconjunto terminológico da CIPE® para a mulher idosa com vulnerabilidade relacionada ao HIV/Aids [dissertação]. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba; 2017.

Beserra PJF. Subconjunto terminológico da CIPE® para mulheres com HIV e Aids [tese]. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba; 2018.

Nóbrega TMA. Diagnósticos, resultados e intervenções de enfermagem relacionados ao comportamento sexual da pessoa idosa [dissertação]. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba; 2018.

Carvalho MWA. Validação do subconjunto terminológico CIPE® para pacientes com dor oncológica [tese]. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba; 2016.

Rodrigues IDCV. Simulação realística no processo de ensino-aprendizagem do raciocínio diagnóstico de enfermagem [tese]. Natal: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; 2017.

Paulino TSC. Classificação internacional para a prática de enfermagem (CIPE®): uma pesquisa-ação na atenção primária à saúde [tese]. Natal: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; 2016.

Souza Neto VL. Diagnósticos, resultados e intervenções da CIPE® para pessoas vivendo com Aids [dissertação]. Natal: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; 2016.

Dantas CN. Software-protótipo para o acompanhamento do crescimento e desenvolvimento infantil a partir da classificação internacional das práticas de enfermagem (CIPE®) [tese]. Natal: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; 2016.

Silva BCO. Banco de termos da linguagem especial de enfermagem para pessoas vivendo com a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida [dissertação]. Natal: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; 2016.

Rocha CCT. Mapeamento cruzado dos títulos de diagnósticos de enfermagem formulados segundo a CIPE® versus diagnósticos da NANDA Internacional para pessoas vivendo com AIDS [dissertação]. Natal: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; 2017.

Duarte FHS. Banco de termos da linguagem especial de enfermagem para pacientes com lesão por pressão [dissertação]. Natal: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; 2017.

Clares JWB. Proposta de subconjunto terminológico da CIPE® para a prática clínica de enfermagem ao idoso na atenção básica [dissertação]. Fortaleza: Universidade Estadual do Ceará; 2014.

Queiroz SMB. Diagnósticos, resultados e intervenções de enfermagem em idosos com traumas musculoesqueléticos de membros inferiores: fundamentos para a prática clínica do enfermeiro [dissertação]. Fortaleza: Universidade Estadual do Ceará; 2014.

Moura DJM. Cuidado clínico em enfermagem à luz da teoria da adaptação de Roy nas complicações da hipertensão arterial [dissertação]. Fortaleza: Universidade Estadual do Ceará; 2010.

Fernandes BKC. Diagnósticos/resultados de enfermagem da CIPE® identificados em pessoas idosas institucionalizadas [dissertação]. Fortaleza: Universidade Estadual do Ceará; 2017.

Viana AB. Diagnósticos de enfermagem de famílias com crianças e adolescentes em sofrimento psíquico segundo a Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem [dissertação]. Fortaleza: Universidade Estadual do Ceará; 2017.

Rabelo ACS. Subconjunto terminológico da CIPE® para pessoas com coronariopatias em cuidados intensivos: utilização do caritas-veritas de Watson [tese]. Fortaleza: Universidade Estadual do Ceará; 2018.

Martinho NJ. Guia de conduta em pré-natal: desenvolvimento de tecnologia em enfermagem à luz da CIPE® – versão alfa [dissertação]. Fortaleza: Universidade Federal do Ceará; 2005.

Costa FCC. Intervenções de enfermagem identificadas em consultas a portadores de hipertensão arterial: estudo em um centro de referência em Fortaleza–CE [dissertação]. Fortaleza: Universidade Federal do Ceará; 2006.

Tavares ILP. Fenômenos de enfermagem relacionados ao termo “razões para as ações” em mulheres atendidas em um serviço de ginecologia de Fortaleza–CE. [dissertação]. Fortaleza: Universidade Federal do Ceará; 2005.

Sousa MCM. Análise da utilização de termos atribuídos a fenômenos de enfermagem, identificados no Projeto CIPESC–CIE/ABEn [tese]. Fortaleza: Universidade Federal do Ceará; 2003.

Feitosa LR. Repensando o cuidado no pós-operatório de revascularização do miocárdio a partir da aplicação do processo de enfermagem [dissertação]. Fortaleza: Universidade Federal do Ceará; 2001.

Martins TG. Subconjunto terminológico da CIPE® para lactentes com alergia à proteína do leite de vaca [dissertação]. Aracaju: Universidade Federal de Sergipe; 2016.

Barreiro MSC. Subconjunto terminológico da Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem (CIPE®) no trauma cranioencefálico [tese]. Aracaju: Universidade Federal de Sergipe; 2017.

Oliveira SJ. Construção de subconjunto terminológico da CIPE® para pacientes com lúpus eritematoso sistêmico [dissertação]. Aracaju: Universidade Federal de Sergipe; 2018.

Pimentel TS. Construção e validação do instrumento para consulta de enfermagem ao indivíduo com diabetes mellitus tipo 2 [dissertação]. Aracaju: Universidade Federal de Sergipe; 2018.

Nunes FDO. Segurança do paciente: construção de diagnósticos de risco durante a realização de curativos [dissertação]. São Luís: Universidade Federal do Maranhão; 2013.

Barros LAA. Diagnósticos de enfermagem de risco para eventos adversos relacionados à instalação do cateter vesical de demora [dissertação]. São Luís: Universidade Federal do Maranhão; 2014.

Sousa SMA. Diagnósticos de enfermagem em pacientes oncológicos com feridas [dissertação]. São Luís: Universidade Federal do Maranhão; 2016.

Gomes RLV. Estratégia de ensino problematizadora para o processo de aprendizagem na assistência de enfermagem à criança de zero a dois anos: o software PenSAE [tese]. Recife: Universidade Federal de Pernambuco; 2014.

Rodrigues RSN. Diagnósticos de enfermagem em adolescentes com excesso de peso [dissertação]. Recife: Universidade Federal de Pernambuco; 2012.

Félix NDC. Diagnósticos/resultados de enfermagem da CIPE® para pessoas com síndrome metabólica [dissertação]. Crato: Universidade Regional do Cariri; 2016.

Silva RS. Enfermagem em cuidados paliativos para um morrer com dignidade: subconjunto terminológico CIPE® [tese]. Salvador: Universidade Federal da Bahia; 2014.

Monteiro EKR. Diagnósticos de enfermagem em unidade de terapia intensiva cardiológica: contribuição para o processo de enfermagem [dissertação]. Maceió: Universidade Federal de Alagoas; 2014.

Pfeilsticker DC. A Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem no processo de cuidar: significados atribuídos por docentes e graduandos de enfermagem [dissertação]. Vitória: Universidade Federal do Espírito Santo; 2006.

Fonseca VM. Protocolo de atendimento para pacientes em tratamento quimioterápico [dissertação]. Vitória: Universidade Federal do Espírito Santo; 2013.

Silva ES. Diagnósticos e intervenções de enfermagem para a pessoa com colostomia: uma tecnologia do cuidado [dissertação]. Vitória: Universidade Federal do Espírito Santo; 2013.

Passinho ES. Subconjunto terminológico CIPE® para a pessoa acometida pelo infarto agudo do miocárdio [dissertação]. Vitória: Universidade Federal do Espírito Santo; 2017.

Grasse AP. Cuidado à pessoa com úlcera venosa: subconjunto terminológico da Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem [dissertação]. Vitória: Universidade Federal do Espírito Santo; 2017.

Resende FZ. Aplicativo educacional para apoiar o ensino do processo de enfermagem na assistência à mulher, à criança e à família em amamentação [dissertação]. Vitória: Universidade Federal do Espírito Santo; 2018.

Sakata So KNS. Validação do subconjunto terminológico da Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem – CIPE® – para o enfrentamento da violência doméstica infantil [tese]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2018.

Albuquerque LA. Construção de um subconjunto terminológico da CIPE® para crianças e adolescentes vulneráveis à violência doméstica [tese]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2014.

Cubas MR. CIPESC® Curitiba: proposta de uma ferramenta re-leitora da face coletiva do processo saúde- doença [tese]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2006.

Marques SM. Construção de um catálogo CIPE® (Classificação Internacional para a Prática de

Enfermagem) para o acompanhamento do desenvolvimento da criança de 0 a 3 anos de idade [tese]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2014.

Apostólico MR. Potencialidades e limites da CIPESC® para o reconhecimento e enfrentamento das necessidades em saúde da população infantil [tese]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2011.

Antunes MJM. Trabalho da gerência na rede básica do Sistema Único de Saúde – SUS: a contribuição da enfermagem brasileira no universo da Classificação Internacional de Prática de Enfermagem em Saúde Coletiva – CIPESC® [tese]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2001.

Tosin MHS. Subconjunto terminológico da CIPE® para pacientes com doença de Parkinson em reabilitação [dissertação]. Rio de Janeiro: Universidade Federal Fluminense; 2016.

Vidigal PD. Subconjunto terminológico CIPE® para pacientes com tromboembolismo venoso associado a câncer [dissertação]. Rio de Janeiro: Universidade Federal Fluminense; 2018.

Castro MCF. Subconjunto terminológico CIPE® para pacientes em cuidados paliativos com feridas tumorais [dissertação]. Rio de Janeiro: Universidade Federal Fluminense; 2015.

Fialho LFG. Subconjunto de conceitos da classificação internacional para a prática de enfermagem para o cuidado aos pacientes com mieloma múltiplo [dissertação]. Rio de Janeiro: Universidade Federal Fluminense; 2013.

Lins SMSB. Diagnósticos de enfermagem para portadores de doença renal crônica: estudo descritivo [dissertação]. Rio de Janeiro: Universidade Federal Fluminense; 2012.

Torres E. Sistematização da assistência de enfermagem: propondo um protótipo de catálogo CIPE® para HIV/ AIDS [dissertação]. Rio de Janeiro: Universidade Federal Fluminense; 2012.

Veríssimo RCSS.Protótipo de um sistema de documentação em enfermagem no puerpério [dissertação]. São Paulo: Universidade Federal de São Paulo; 2010.

Camiá GEK. Fenômenos e ações de enfermagem identificados em consultas de planejamento familiar segundo a CIPE® – versão beta 2 [tese]. São Paulo: Universidade Federal de São Paulo; 2005.

Gerk MAS. Saúde da mulher: intervenções de enfermagem em ginecologia [tese]. São Paulo: Universidade Federal de São Paulo; 2003.

Nóbrega MML. Equivalência semântica e análise da utilização na prática dos fenômenos de enfermagem da CIPE® – versão alfa [tese]. São Paulo: Universidade Federal de São Paulo; 2000.

Andrade LT. Catálogo CIPE® para pacientes adultos em processo de neurorreabilitação [tese]. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais; 2018.

Bedran T. Definição e validação dos termos atribuídos aos fenômenos de enfermagem em terapia intensiva [dissertação]. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais; 2009.

Tannure MC. Banco de termos da linguagem especial de enfermagem para unidade de terapia intensiva de adultos [dissertação]. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais; 2009.

Souza DRP. Identificação e validação de termos de linguagem especial de enfermagem em reabilitação física motora de pacientes adultos [dissertação]. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais; 2012.

Morais SCRV. Fenômenos de enfermagem identificados por enfermeiros em um caso clínico: considerações à luz das classificações da NANDA–I, NOC e NIC e a CIPE® [tese]. Ribeirão Preto: Universidade de São Paulo; 2014.

Teixeira RA. Trabalho da enfermeira na saúde da família: potência de (re)construção do modelo assistencial e (re)criação do trabalho da enfermagem? [dissertação]. Ribeirão Preto: Universidade de São Paulo; 2002.

Costa CR. Programa de Saúde da Família: (re) construindo a prática da enfermeira em saúde coletiva [dissertação]. Ribeirão Preto: Universidade de São Paulo; 2002.

Gouvêa AHM. Subconjunto terminológico da CIPE® para o cuidado a pessoas portadoras de transtornos mentais [dissertação]. São Paulo: Universidade Estadual Paulista; 2018.

Semprini TR. Implantação e adaptação de catálogo de diagnóstico e intervenção de enfermagem [dissertação]. São Paulo: Universidade Estadual Paulista; 2018.

Avelino CC. Ensino-aprendizagem sobre diagnósticos, intervenções e resultados de enfermagem, de acordo com a CIPE®, utilizando o ambiente virtual de aprendizagem [dissertação]. Alfenas: Universidade Federal de Alfenas; 2015.

Alves LB. Diagnósticos, intervenções e resultados de enfermagem de ansiedade e de medo em estudantes de uma universidade pública [dissertação]. Alfenas: Universidade Federal de Alfenas; 2014.

Primo CC. Teoria de médio alcance de amamentação: tecnologia de cuidado [tese]. Alfenas: Universidade Federal do Rio de Janeiro; 2015.

Carvalho CMG. Análise comparativa entre a Ontologia CIPE® 2.0 e a Ontologia CIPESC® [dissertação]. Curitiba: Pontifícia Universidade Católica do Paraná; 2012.

Brondani AM. Relacionamento entre termos da CIPE® para compor diagnósticos de enfermagem relacionados

ao foco processo do sistema circulatório [dissertação]. Curitiba: Pontifícia Universidade Católica do Paraná; 2010.

Mattei FD. Elaboração de diagnósticos e resultados de enfermagem relacionados ao processo de dor por meio da combinação entre termos da CIPE® e sua inclusão na ontologia CIPESC® [dissertação]. Curitiba: Pontifícia Universidade Católica do Paraná; 2010.

Rosso M. Sistema baseado em conhecimento para apoio na identificação dos focos do processo corporal da CIPE® [dissertação]. Curitiba: Pontifícia Universidade Católica do Paraná; 2005.

Costa ECR. Mapeamento cruzado entre termos de enfermagem identificados em hospitais universitários e a Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem – CIPE® [dissertação]. Curitiba: Pontifícia Universidade Católica do Paraná; 2015.

Denipote AGM. Combinação entre termos da CIPE® para compor diagnósticos de enfermagem relacionados ao foco processo do aparelho reprodutor [dissertação]. Curitiba: Pontifícia Universidade Católica do Paraná; 2009.

Bisetto LHL. Correlação entre o Sistema de Informação de Eventos Adversos Pós-Vacinação e a CIPE®: construção de diagnósticos de enfermagem [dissertação]. Curitiba: Pontifícia Universidade Católica do Paraná; 2010.

Cavalheiro MA. Subconjunto terminológico da classificação internacional para as práticas de enfermagem (CIPE®) para assistência de enfermagem na atenção primária à saúde [dissertação]. Curitiba: Pontifícia Universidade Católica do Paraná; 2014.

Pleis LE. Definição de termos identificado em linguagem de enfermagem fundamentados na classificação internacional para a prática de enfermagem – CIPE® [dissertação]. Curitiba: Pontifícia Universidade Católica do Paraná; 2015.

Silva RR. Desenvolvimento parcial de uma ontologia para classificação de termos da Enfermagem [dissertação]. Curitiba: Pontifícia Universidade Católica do Paraná; 2009.

Gomes DC. Banco de termos da linguagem especial de enfermagem de um hospital universitário [dissertação]. Curitiba: Pontifícia Universidade Católica do Paraná; 2014.

Toniolo RMM. Avaliação da navegabilidade e usabilidade de um sistema computacional para auxílio ao ensino do diagnóstico de enfermagem [dissertação]. Curitiba: Pontifícia Universidade Católica do Paraná; 2012.

Bastos RCB. Estudo de caso como instrumento de suporte para subconjunto da CIPE® direcionado a clientes da neurocirurgia [dissertação]. Curitiba: Pontifícia Universidade Católica do Paraná; 2017.

Leal RG. Validação de termos identificados em registros de enfermagem de um hospital universitário, com base na CIPE® [dissertação]. Curitiba: Pontifícia Universidade Católica do Paraná; 2017.

Peluci APVD. Padrão de registro de enfermagem para as especialidades de neurocirurgia e ortopedia fundamentado na classificação internacional para a prática de enfermagem [dissertação]. Curitiba: Pontifícia Universidade Católica do Paraná; 2017.

Paese F. Processo de enfermagem informatizado utilizando a CIPE® para a segurança do paciente em unidade de urgência e emergência [tese]. Florianópolis: Pontifícia Federal de Santa Catarina; 2016.

Barra DCC. Processo de enfermagem informatizado e a segurança do paciente em terapia intensiva a partir da CIPE® versão 1.0: a evidência clínica para o cuidado [tese]. Florianópolis: Pontifícia Federal de Santa Catarina; 2012.

Almeida SRW. Aplicações do processo de enfermagem informatizado a partir da CIPE 1.0 em uma UTI geral [dissertação]. Florianópolis: Pontifícia Federal de Santa Catarina; 2011.

Barra DCC. Processo de enfermagem informatizado em terapia intensiva em ambiente PDA (Personal Digital Assistant) a partir da CIPE® versão 1.0 [dissertação]. Florianópolis: Pontifícia Federal de Santa Catarina; 2008.

Antunes RC. Processo de enfermagem informatizado ao paciente politraumatizado de terapia intensiva via WEB [dissertação]. Florianópolis: Pontifícia Federal de Santa Catarina; 2006.

Vasconcelos EMR. Cuidado de enfermagem, com visão holográfica, na abordagem de idosas com depressão, utilizando a terapia floral de Bach [tese]. Florianópolis: Pontifícia Federal de Santa Catarina; 2003.

Siqueira EF. Validação da correspondência diagnóstica da Classificação Internacional para as Práticas de Enfermagem – CIPE® com a Classificação Internacional da Atenção Primária – CIAP 2 sob a ótica de enfermeiros referência no Brasil [dissertação]. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina; 2017.

Albuquerque LM. Percepção das enfermeiras acerca da utilização da base CIPESC® na consulta de enfermagem [dissertação]. Curitiba: Universidade Federal do Paraná; 2006.

Pizzolato AC. Construção de instrumento do registro de enfermagem no atendimento móvel de urgência em Curitiba–PR [dissertação]. Curitiba: Pontifícia Federal do Paraná; 2015.

Souza EC. Análise dos termos utilizados na consulta de enfermagem no pré-natal com base na Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem [dissertação]. Maringá: Universidade Estadual de Maringá; 2012.

Rodrigues SS. Processo educativo para qualificação da consulta de enfermagem ginecológica utilizando a CIPE® [dissertação]. Dourados: Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul; 2018.

Muller N. Implantação da sistematização da assistência de enfermagem (SAE) com base na Classificação Internacional das Práticas de Enfermagem (CIPE), em um município de pequeno porte: análise de uma prática [dissertação]. Dourados: Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul; 2016.

Lins GAI. Subconjunto terminológico CIPE® para a prática de enfermagem ambiental e ocupacional [tese]. Brasília: Universidade de Brasília; 2017.

Lins GAI. Diagnósticos, resultados e intervenções de enfermagem para a prática de enfermagem no âmbito do cuidado ecológico e ocupacional [dissertação]. Brasília: Universidade de Brasília; 2012.

Oliveira MDS. Subconjunto terminológico da CIPE® para atendimento de pessoas com hanseníase [tese]. Goiânia: Universidade Federal de Goiás; 2017.

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Avaliação quadrienal em números: 2017. [Internet]. 2017 [access at: Apr. 08, 2018]. Available at: https://www.ucs.br/site/midia/arquivos/Avalia%C3%A7%C3%A3o_Quadrienal_em_n%C3%BAmeros.pdf.

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Relatório de avaliação Enfermagem: quadrienal 2017. [Internet]. 2017 [access at: Apr. 08, 2018]. Available at: https://capes.gov.br/images/stories/download/avaliacao/relatorios-finais-quadrienal-2017/20122017-ENFERMAGEM-quadrienal.pdf.

Marziale MHP, Lima RAG. Doctorate education and producing knowledge in nursing. Rev Latino- Am Enfermagem [Internet]. 2015 [access at: Apr. 14, 2018]; 23(3):361-2. Available at: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-11692015000300361&lng=en&tlng=en. http://dx.doi.org/10.1590/0104-1169.0000.2563.

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Plano Nacional de Pós-Graduação – PNPG 2011-2020: vol. 1. [Internet]. Brasília, DF: CAPES; 2010 [access at: Apr. 08, 2018]. Available at: http://www.capes.gov.br/images/stories/download/Livros-PNPG-Volume-I-Mont.pdf.

Oliveira DC. Interdisciplinarity and internationalization: two challenging aspects of nursing research. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2014 [access at: Apr. 10, 2018];48(6):964-9. Available at: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342014000600964&lng=en&tlng=en. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-623420140000700001.

Scochi CGS, Munari DB, Gelbcke FL, Erdmann AL, Gutiérrez MGR, Rodrigues RAP. Pós-graduação stricto sensu em enfermagem no Brasil: avanços e perspectivas. Rev Bras Enferm [Internet]. 2013 [access at: Apr. 10, 2018];66(esp):80-9. Available at: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672013000700011&lng=pt&tlng=pt. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672013000700011.

Carvalho CMG, Cubas MR, Nóbrega MML. Brazilian method for the development terminological subsets of ICNP®: limits and potentialities. Rev Bras Enferm [Internet]. 2017 [access at: Nov. 05, 2019];70(2):449- 54. Available at: https://www.scielo.br/pdf/reben/v70n2/pt_0034-7167-reben-70-02-0430.pdf. http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2016-0308.

Garcia TR. ICNP®: a standardized terminology to describe professional nursing practice. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2016 [access at: Apr. 14, 2018]; 50(3):378- 9. Available at: https://www.scielo.br/pdf/reeusp/v50n3/0080-6234-reeusp-50-03-0376.pdf. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-623420160000400001.

Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada e Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos. Grupo Técnico para o acompanhamento dos ODM. Objetivos de Desenvolvimento do Milênio: relatório nacional de acompanhamento [Internet]. Brasília, DF: Ipea; 2014 [access at: Apr. 18, 2018]. Available at: http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/140523_relatorioodm.pdf.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Ciência e Tecnologia. Agenda nacional de prioridades de pesquisa em saúde [Internet]. 2a ed. Brasília, DF: Editora do Ministério da Saúde; 2015 [access at: Apr. 18, 2018]. Available at: http://brasil.evipnet.org/wp-content/uploads/2017/07/ANPPS.pdf.

Rodrigues RAP, Robazzi MLCC, Erdmann AL, Fernandes JD, Barros ALBL, Ramos FRS. Doctoral theses from nursing postgraduate programs in Brazil and their association with the Millennium Development Goals. Rev Latino-Am Enfermagem [Internet]. 2015 [access at: Apr. 20, 2018];23(3):395-403. Available at: https://www.scielo.br/pdf/rlae/v23n3/0104-1169-rlae-23-03-00395.pdf. http://dx.doi.org/10.1590/0104-1169.0667.2565.

Descritores em Ciências da Saúde: DeCS. [Internet]. ed. 2017. São Paulo: BIREME/OPAS/OMS; 2017 [atualizado em: May 18, 2017; access at: Apr. 22, 2018]. Available at: http://decs.bvsalud.org/I/homepagei.htm.

Publicado

30/06/2020

Como Citar

1.
Clares JWB, Guedes MVC, Freitas MC de. Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem em dissertações e teses brasileiras. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 30º de junho de 2020 [citado 13º de julho de 2024];22:56262. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/56262

Edição

Seção

Artigo de Revisão