Prevalência e fatores associados à fragilidade em idosos atendidos em um ambulatório de especialidades

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v21.52195

Palavras-chave:

Saúde do Idoso, Idoso Fragilizado, Fatores de Risco, Inquéritos Epidemiológicos, Enfermagem Geriátrica

Resumo

Estudo transversal desenvolvido com 374 idosos de um hospital de ensino da região dos Campos Gerais que buscou identificar a prevaleência e fatores associados ã fragilidade em idosos de um ambulatório de especialidades médicas. A coleta de dados compreendeu entrevista, Mini Exame do Estado Mental e Escala Fragilidade de Edmonton. Realizou-se análise bivariada e múltipla por meio de regessão de Poisson com respectivos intervalos de confiança de 95% e nível de significância de p?0,05. A prevalência de fragilidade foi de 40,1%, com associação significativa às variáveis sexo feminino (p=0,002), baixa escolaridade (p=0,020), presença de doença(s) autorreferida(s) (p=0,006), medicamentos (p=0,001), perda de urina (p=0,001), quedas (p=0,001) e à hospitalização (p=0,001). A prevalência de fragilidade identificada foi discretamente inferior à constatada em estudo de um centro de referência e superior a idosos da comunidade, com fatores sociodemográficos e clínicos associados. Requerendo olhar atento dos profissionais da saúde acerca deste perfil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

20/09/2019

Como Citar

1.
Grden CRB, Rodrigues CRB, Cabral LPA, Reche PM, Bordin D, Borges PKO. Prevalência e fatores associados à fragilidade em idosos atendidos em um ambulatório de especialidades. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 20º de setembro de 2019 [citado 27º de setembro de 2022];21:52195. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/52195

Edição

Seção

Artigo Original