Cirurgia de revascularização do miocárdio: características da internação e alterações relacionadas ao tempo de internação

Autores

  • Cintia Koerich Universidade Federal de Santa Catarina
  • Gabriela Marcellino de Melo Lanzoni Universidade Federal de Santa Catarina
  • Giovana Dorneles Callegaro Higashi Universidade Federal de Santa Catarina
  • Alacoque Lorenzini Erdmann Universidade Federal de Santa Catarina
  • Betina Hörner Schlindwein Meirelles Universidade Federal de Santa Catarina
  • Maria Aparecida Baggio Universidade Estadual do Oeste do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v19.42870

Palavras-chave:

Tempo de Internação, Doenças Cardiovasculares, Cirurgia Torácica, Cuidados de Enfermagem, Gestão em Saúde

Resumo

O estudo teve como objetivo identificar as características da internação e alterações apresentadas por indivíduos submetidos à Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e sua associação com tempo de internação para cirurgia. Estudo epidemiológico observacional e transversal, realizado entre março de 2013 a março de 2014, com 99 indivíduos submetidos à Cirurgia de Revascularização do Miocárdio.  Verificou-se que dor no peito e angina/dor torácica identificados no pré-operatório e insuficiência respiratória, hipertermia, Hipertensão Arterial Sistêmica e arritmias apresentadas no pós-operatório foram preditores para maior tempo de internação. A associação entre as características da internação e as alterações clínicas com o tempo de Internação de indivíduos submetidos à Cirurgia de Revascularização do Miocárdio fornecem subsídios para atuação do enfermeiro e demais profissionais de saúde e gestores, a fim de criar estratégias para detecção precoce de intercorrências relacionadas à Cirurgia de Revascularização do Miocárdio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Cintia Koerich, Universidade Federal de Santa Catarina

Enfermeira, Mestre em Enfermagem. Discente do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Santa Catarina, nível Doutorado. Enfermeiro do Instituto de Cardiologia de Santa Catarina 2. São José, SC, Brasil. E-mail: cintia.koerich@gmail.com.

Gabriela Marcellino de Melo Lanzoni, Universidade Federal de Santa Catarina

Enfermeira, Doutora em Enfermagem. Professora Adjunta da Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC, Brasil. E-mail: gabimrc@gmail.com.

Giovana Dorneles Callegaro Higashi, Universidade Federal de Santa Catarina

Enfermeira, Doutora em Enfermagem. Professora Substituta da Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC, Brasil. E-mail: gio.enfermagem@gmail.com.

Alacoque Lorenzini Erdmann, Universidade Federal de Santa Catarina

Enfermeira, Doutora em Filosofia de Enfermagem. Professora Titular da Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC, Brasil. E-mail: alacoque@newsite.com.br.

Betina Hörner Schlindwein Meirelles, Universidade Federal de Santa Catarina

Enfermeira, Doutora em Enfermagem. Professora Associada da Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC, Brasil. E-mail: betina.hsm@ufsc.br.

Maria Aparecida Baggio, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Enfermeira, Doutora em Enfermagem. Docente do Ensino Superior da Universidade Estadual do Oeste do Paraná. Cascavel, PR, Brasil. E-mail: mariabaggio@yahoo.com.br.

Publicado

31-12-2017

Como Citar

1.
Koerich C, Lanzoni GM de M, Higashi GDC, Erdmann AL, Meirelles BHS, Baggio MA. Cirurgia de revascularização do miocárdio: características da internação e alterações relacionadas ao tempo de internação. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 31º de dezembro de 2017 [citado 18º de outubro de 2021];19. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/42870

Edição

Seção

Artigo Original