Significado da atenção domiciliar e o momento vivido pelo paciente oncológico em cuidados paliativos

Autores

  • Michele Rodrigues Matos Universidade Federal de Pelotas
  • Rosani Manfrin Muniz Universidade Federal de Pelotas
  • Aline da Costa Viegas Universidade Federal de Pelotas
  • Denise Somavila Przylynski
  • Adriana Winter Holz Santa Casa de Misericórdia de Pelotas

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v18.35061

Palavras-chave:

Assistência Domiciliar, Cuidados Paliativos, Doença Crônica, Enfermagem Oncológica, Cuidados de Enfermagem

Resumo

Objetivou-se conhecer o momento vivido e o significado da atenção domiciliar para o paciente oncológico em cuidados paliativos sob o olhar da teoria humanística de Paterson e Zderad. Estudo de abordagem qualitativa, descritivo e exploratório, desenvolvido com cinco pacientes oncológicos em cuidados paliativos na atenção domiciliar.  A coleta de dados foi realizada por meio de entrevistas semiestruturadas, de maio a agosto de 2013. Para a interpretação das informações foi utilizada a análise temática de conteúdo. Os resultados revelaram que a atenção domiciliar é identificada pelos pacientes como substitutiva a hospitalar, permitindo mais liberdade, conforto, autonomia e fortalecimento do vínculo com a equipe de saúde. Os participantes apontaram como dificuldade a sensação de improdutividade frente à evolução da doença. Conclui-se que as potencialidades deste modelo de atenção vão ao encontro da assistência que visa contemplar os princípios do cuidado paliativo, como o bem-estar e o estar melhor desses pacientes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Michele Rodrigues Matos, Universidade Federal de Pelotas

Enfermeira. Discente do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, nível Mestrado, da Universidade Federal de Pelotas. Pelotas, RS, Brasil. E-mail: michele.rodriguesmatos@gmail.com.

Rosani Manfrin Muniz, Universidade Federal de Pelotas

Enfermeira, Doutorado em Enfermagem Fundamental. Professora Adjunto da Universidade Federal de Pelotas. Pelotas, RS, Brasil. E-mail: romaniz@terra.com.br.

Aline da Costa Viegas, Universidade Federal de Pelotas

Enfermeira, Mestre em Enfermagem. Discente do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, nível Doutorado, da Universidade Federal de Pelotas. Pelotas, RS, Brasil. E-mail: alinecviegas@hotmail.com.

Denise Somavila Przylynski

Enfermeira, Mestre em Enfermagem. Pelotas, RS, Brasil. E-mail: deprizi@gmail.com.

Adriana Winter Holz, Santa Casa de Misericórdia de Pelotas

Enfermeira. Enfermeira Assistencial do Centro de Radioterapia e Oncologia da Santa Casa de Misericórdia de Pelotas. Pelotas, RS, Brasil. E-mail: adriana_holz@yahoo.com.br.

Publicado

01/12/2016

Como Citar

1.
Matos MR, Muniz RM, Viegas A da C, Przylynski DS, Holz AW. Significado da atenção domiciliar e o momento vivido pelo paciente oncológico em cuidados paliativos. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 1º de dezembro de 2016 [citado 10º de agosto de 2022];18. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/35061

Edição

Seção

Artigo Original