Autoeficácia, intensidade de dor e qualidade de vida em indivíduos com dor crônica

  • Mariana Souza e Silva Prefeitura Municipal de São Carlos
  • Priscilla Hortense Universidade Federal de São Carlos
  • Ana Maria Napoleão Universidade Federal de São Carlos
  • Thais Stefane
Palavras-chave: Dor, Medição da Dor, Autoeficácia, Qualidade de Vida, Cuidados de Enfermagem

Resumo

O estudo teve como objetivo correlacionar autoeficácia, qualidade de vida e intensidade de dor em pessoas com dor crônica. Estudo tipo corte transversal. Amostra de 95 pessoas com dor crônica, recrutada na área de abrangência de uma Unidade de Saúde da Família. Os instrumentos utilizados na pesquisa foram: a Escala de Autoeficácia para Dor, Escala Numérica de Dor e o WHOQOL – Bref, para avaliação da autoeficácia, intensidade de dor e qualidade de vida. As correlações indicaram que indivíduos com dor crônica e elevados níveis de autoeficácia podem apresentar menor intensidade de dor e melhor qualidade de vida. Autoeficácia e qualidade de vida são variáveis a serem consideradas na avaliação de pessoas com dor crônica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Mariana Souza e Silva, Prefeitura Municipal de São Carlos
Enfermeira, Mestre em Enfermagem. Enfermeira da Prefeitura Municipal de São Carlos. São Carlos, SP, Brasil. E-mail: marisosil@bol.com.br.
Priscilla Hortense, Universidade Federal de São Carlos
Enfermeira, Doutora em Enfermagem. Professora Adjunta da Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil. E-mail: priscillaufscar@gmail.com.
Ana Maria Napoleão, Universidade Federal de São Carlos

Enfermeira, Doutora em Enfermagem. Professora Adjunta da UFSCAR. São Carlos, SP, Brasil. E-mail: anamaria@ufscar.br.

Thais Stefane
Enfermeira, Mestre em Enfermagem. São Carlos, SP, Brasil. E-mail: t.stefane@gmail.com
Publicado
31-03-2016
Como Citar
Silva, M. S. e, Hortense, P., Napoleão, A. M., & Stefane, T. (2016). Autoeficácia, intensidade de dor e qualidade de vida em indivíduos com dor crônica. Revista Eletrônica De Enfermagem, 18. https://doi.org/10.5216/ree.v18.29308
Seção
Artigo Original