Qualidade de vida de mulheres com dor pélvica crônica

Autores

  • Rosa Azevedo da Luz Universidade Federal de Goiás, Hospital das Clínicas
  • Flávia Melo Rodrigues Pontifícia Universidade Católica de Goiás
  • Vanessa Silva Carvalho Vila Pontifícia Universidade Católica de Goiás
  • José Miguel de Deus Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Medicina
  • Délio Marques Conde Hospital Materno Infantil de Goiânia

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v17i3.27656

Palavras-chave:

Qualidade de Vida, Dor Pélvica, Saúde da Mulher, Cuidados de Enfermagem

Resumo

Os objetivos deste estudo transversal foram comparar a qualidade de vida e as características socioeconômicas de mulheres com e sem dor pélvica e investigar achados clínicos e cirúrgicos de mulheres com dor pélvica crônica.  Os dados foram coletados em um hospital público, de Goiânia/GO, Brasil. A intensidade da dor foi aferida pela escala analógica visual e qualidade de vida avaliada pelo SF-36. A maioria das mulheres classificou a dor como intensa (52%) e conviviam com a dor há 8,8 (±7,7) anos. Mulheres do grupo com dor pélvica crônica apresentaram escores inferiores em todas as dimensões avaliadas pelo SF-36 (p< 0,05), exceto na dimensão saúde mental, quando comparado com o grupo sem dor. A correlação foi negativa (p=0,017) entre a intensidade da dor e a dimensão dor do SF-36. A dor pélvica apresentou impacto negativo significativo na qualidade de vida, com prejuízos para a saúde física e mental das mulheres.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rosa Azevedo da Luz, Universidade Federal de Goiás, Hospital das Clínicas

Enfermeira, Mestre em Ciências Ambientais e Saúde. Enfermeira do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás (UFG). Goiânia, GO, Brasil. E-mail: r.azevedo.luz@bol.com.br.

Flávia Melo Rodrigues, Pontifícia Universidade Católica de Goiás

Biomédica, Doutora em Ciências Ambientais. Professora Adjunto da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO). Goiânia, GO, Brasil. E-mail: rflamelo@gmail.com.

Vanessa Silva Carvalho Vila, Pontifícia Universidade Católica de Goiás

Enfermeira, Doutora em Enfermagem. Professora Adjunto da PUC-GO. Goiânia, GO, Brasil. E-mail: vscvila@uol.com.br.

José Miguel de Deus, Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Medicina

Médico, Doutor em Medicina. Professor Associado da Faculdade de Medicina da UFG. Goiânia, GO, Brasil. E-mail: jm.dedeus@hotmail.com.

Délio Marques Conde, Hospital Materno Infantil de Goiânia

Médico, Doutor em Tocoginecologia. Preceptor do Programa de Residência Médica do Hospital Materno Infantil de Goiânia. Goiânia, GO, Brasil. E-mail: delioconde@bol.com.br.

Publicado

07/04/2016

Como Citar

1.
Luz RA da, Rodrigues FM, Vila VSC, Deus JM de, Conde DM. Qualidade de vida de mulheres com dor pélvica crônica. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 7º de abril de 2016 [citado 23º de maio de 2022];17(3). Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/27656

Edição

Seção

Artigo Original