Qualidade de vida em pacientes submetidos à prostatectomia radical

Débora Moura Miranda Goluart, Mário Alfredo Silveira Miranzi, Paulo Eduardo Nunes Goulart

Resumo


Estudo transversal, com análise descritiva de 81 pacientes submetidos à prostatectomia radical (PR), cujo objetivo foi relacionar a qualidade de vida (QV), segundo o EORTC-QLQ C30, com a faixa etária e tempo pós-operatório. A média etária foi de 65,7 anos. A maioria procurou a urologia, assintomáticos. Referiram ex-tabagismo (49,4%) e hipertensão arterial (53,1%). A média do PSA pré-operatório foi de 8,4 ng/ml. Prevaleceram estádios de T2c a T3, Gleason ?6 e tempo pós-operatório maior que um ano. Apresentaram disfunção erétil 90,1% e incontinência urinária 33,3%. A QV apresentou altos índices nas escalas funcionais e global de saúde e baixos na sintomatologia. Verificou-se melhor QV nos idosos nos itens: função emocional, dificuldade financeira e saúde global e, naqueles com mais de um ano de cirurgia, nos itens: função cognitiva e fadiga.  Embora não tenha sido observado grande impacto na QV, houve diferenças entre os grupos etários e o tempo pós-operatório.

doi: 10.5216/ree.v16i3.21589.


Palavras-chave


Qualidade de Vida; Prostatectomia; Disfunção Erétil; Incontinência Urinária

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5216/ree.v16i3.21322



Licença Creative Commons A Revista Eletrônica de Enfermagem está licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Logotipo do Ibict