Prática da episiotomia e fatores maternos e neonatais relacionados

Autores

  • Ana Karina Marques Salge Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Enfermagem
  • Sara Fleury Lôbo
  • Karina Machado Siqueira Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Enfermagem
  • Renata Calciolari Rossie Silva Universidade do Oeste Paulista
  • Janaína Valadares Guimarães Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Enfermagem

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v14i4.17538

Palavras-chave:

Enfermagem Obstétrica, Episiotomia, Parto Normal, Períneo.

Resumo

A episiotomia trata-se de uma incisão cirúrgica realizada no momento da expulsão do concepto. O objetivo deste estudo foi avaliar o uso da episiotomia e sua associação com as alterações maternas e neonatais em duas maternidades públicas. A população constituiu-se de parturientes submetidas ao parto normal, no período de junho de 2009 a maio de 2010, mediante revisão dos prontuários. Foram analisados 1.129 prontuários. A episiotomia foi utilizada em 57,55% (n=636) de todos os partos normais e em 83,7% (n=325) dos partos de primíparas. A associação entre o uso da episiotomia e a primiparidade é estatisticamente significante (p<0,001). Os dados sugerem a associação da episiotomia e aumento do risco de lacerações graves (p<0,001). O emprego da episiotomia mostrou-se semelhante nas duas maternidades. Os resultados deste estudo ratificam o uso indiscriminado da episiotomia e apontam para a necessidade de propor estratégias para reduzir o emprego dessa técnica.

Descritores: Enfermagem Obstétrica; Episiotomia; Parto Normal; Períneo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Karina Marques Salge, Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Enfermagem

Enfermeira, Doutora em Patologia. Professora Adjunto da Faculdade de Enfermagem (FEN) da Universidade Federal de Goiás (UFG). Goiânia, GO, Brasil. E-mail: anakarina@fen.ufg.br.

Sara Fleury Lôbo

Enfermeira, Mestre em Enfermagem. Goiânia, GO, Brasil. E-mail: sarafleury1@yahoo.com.br.

Karina Machado Siqueira, Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Enfermagem

Enfermeira, Mestre em Enfermagem. Discente do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da FEN/UFG, nível Doutorado. Professora Assistente da FEN/UFG. Goiânia, GO, Brasil. E-mail: karinams.fen@gmail.com.

Renata Calciolari Rossie Silva, Universidade do Oeste Paulista

Fisioterapeuta, Doutora em Ciências da Saúde. Professora do Departamento de Patologia da Universidade do Oeste Paulista. Presidente Prudente, SP, Brasil. E-mail: renata@unioeste.br.

Janaína Valadares Guimarães, Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Enfermagem

Enfermeira, Doutora em Patologia. Professora Adjunto FEN/UFG. Goiânia, GO, Brasil. E-mail: valadaresjanaina@gmail.com.

Downloads

Publicado

31/12/2012

Como Citar

1.
Salge AKM, Lôbo SF, Siqueira KM, Silva RCR, Guimarães JV. Prática da episiotomia e fatores maternos e neonatais relacionados. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 31º de dezembro de 2012 [citado 28º de maio de 2022];14(4):779-85. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/17538

Edição

Seção

Artigo Original