Risco para depressão, ansiedade e alcoolismo entre trabalhadores informais

Autores

  • Giovanna Fernandes de Oliveira Universidade Federal da Paraíba, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem
  • Gisele Santana Pereira Carreiro Universidade Federal da Paraíba, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem
  • Maria de Oliveira Ferreira Filha Universidade Federal da Paraíba, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem
  • Rolando Lazarte
  • Rodrigo Pinheiro de Toledo Vianna Universidade Federal da Paraíba, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem

DOI:

https://doi.org/10.5216/ree.v12i2.10354

Palavras-chave:

Risco, Transtornos mentais, Saúde do trabalhador.

Resumo

A OMS aponta que os transtornos mentais menores acometem cerca de 30% dos trabalhadores ocupados e os transtornos mentais graves, 5 a 10%. Esta pesquisa objetivou identificar o risco, o perfil sociodemográfico e os fatores de risco para depressão, ansiedade e alcoolismo entre 86 trabalhadores informais no município de João Pessoa - PB, no período de agosto de 2006 a outubro de 2007. Trata-se de um estudo individuado, observacional, de corte transversal. Os dados foram coletados através dos questionários SRQ-20, CAGE e de um questionário sobre fatores de risco da saúde mental. Para a análise, utilizou-se o software SPSS 15.0. O risco para depressão e ansiedade foi apresentado por 31,4% da amostra, e o risco para alcoolismo, por 24,4%. Os dados sociodemográficos comuns aos riscos estudados foram: predominância da idade de 21 a 40 anos e da renda mensal de um a três salários mínimos. Os fatores de risco sobrecarga de trabalho e tempo insuficiente para lazer foram associados aos riscos para depressão, ansiedade e alcoolismo. Ressalta-se a necessidade de elaboração de ações de saúde mental que minimizem o sofrimento desses trabalhadores, melhorando sua qualidade de vida. A terapia comunitária é indicada como uma ação de prevenção do adoecimento mental.

Descritores: Risco; Transtornos mentais; Saúde do trabalhador.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Giovanna Fernandes de Oliveira, Universidade Federal da Paraíba, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem

Enfermeira. Mestranda em Enfermagem, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, UFPB. João Pessoa, PB, Brasil.

Gisele Santana Pereira Carreiro, Universidade Federal da Paraíba, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem

Enfermeira. Mestranda em Enfermagem, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, UFPB. João Pessoa, PB, Brasil.

Maria de Oliveira Ferreira Filha, Universidade Federal da Paraíba, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem

Enfermeira, Doutora em Enfermagem. Docente, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, UFPB. Membro do Grupo de Enfermeiras Experts no Ensino de Enfermagem em Saúde Mental das Américas. João Pessoa, PB, Brasil.

Rolando Lazarte

Sociólogo, Doutor em Sociologia. Terapeuta comunitário. João Pessoa, PB, Brasil.

Rodrigo Pinheiro de Toledo Vianna, Universidade Federal da Paraíba, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem

Engenheiro de Alimentos, Doutor em Saúde Coletiva. Docente, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, UFPB. João Pessoa, PB, Brasil.

Downloads

Publicado

05/07/2010

Como Citar

1.
Oliveira GF de, Carreiro GSP, Ferreira Filha M de O, Lazarte R, Vianna RP de T. Risco para depressão, ansiedade e alcoolismo entre trabalhadores informais. Rev. Eletr. Enferm. [Internet]. 5º de julho de 2010 [citado 28º de maio de 2022];12(2):272-7. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/10354

Edição

Seção

Artigo Original