Distanciamento social ou distanciamento do social? Uma abordagem não antropocêntrica em antropologia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/sec.v24.66203

Resumo

Os Estudos de Ciência e Tecnologia (Science and Technology Studies [STS]) e a Teoria Ator-Rede (Actor-Network Theory [ANT]), bem como a antropologia contemporânea “além do humano”, promovem uma abordagem não antropocêntrica nas ciências sociais, considerando as entidades não humanas parte do mundo social. Sob essa perspectiva não antropocêntrica, este artigo busca questionar o uso de “distanciamento social” como um termo preciso, sendo o qualificador “social” associado apenas a seres humanos. Se o distanciamento é um conceito-chave para prevenir a transmissão de COVID-19 entre seres humanos, seria mais correto falar em distanciamento físico ou corporal humano. Ao falar em distanciamento social, na verdade estamos distanciando o social, estreitando sua complexidade, que é composta por entidades não necessariamente humanas nem visíveis a olho nu, como é o caso do novo coronavírus. Este artigo nos convida a procurar termos alternativos ao conceito de “distanciamento social” que possibilitem expressar melhor a
complexidade do social de modo menos antropocêntrico. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristian Terry, Universidade de Lausanne, Lausanne, Suíça

Mestrado em Estudos de Desenvolvimento pelo Graduate Institute (Genebra, Suíça) e doutorado em Ciências Sociais pela Universidade de Lausanne (Suíça). 

Downloads

Publicado

08-09-2021

Como Citar

Terry, C. (2021). Distanciamento social ou distanciamento do social? Uma abordagem não antropocêntrica em antropologia. Sociedade E Cultura, 24. https://doi.org/10.5216/sec.v24.66203

Edição

Seção

Dossiê: Ciências Sociais e Covid-19