ANÁLISE INTEGRADA DO MEIO FÍSICO COMO SUBSÍDIO AO DIAGNÓSTICO DE PROCESSOS EROSIVOS NA BACIA DO RIBEIRÃO EXTREMA EM ANÁPOLIS (GO) - DOI 10.5216/bgg.v29i2.9022

Autores

  • Leide Laura F. M. Teixeira Universidade Federal de Goiás
  • Patrícia de Araújo Romão Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.5216/bgg.v29i2.9022

Resumo

 

Atualmente, em escala variável, as cidades brasileiras apresentam problemas comuns, derivados das intensas modificações sofridas em décadas anteriores e agravados ao longo dos anos, pela falta de planejamento e controle da utilização da terra. Na cidade de Anápolis-GO, o uso das terras, não levou em consideração as fragilidades do meio físico em que se inseria, condicionando ao município problemas de ordem ambiental, que se refletem na ocorrência de processos erosivos lineares, assoreamentos e inundações. A bacia do ribeirão Extrema é uma das áreas de Anápolis com esse tipo de problema ambiental. Diante disso, o presente trabalho investigou a relação entre os condicionantes do meio físico, incluindo a sua utilização e a ocorrência de processos erosivos lineares nessa bacia hidrográfica. Fundamenta-se na análise integrada dos componentes da natureza e da sociedade, viabilizada com o auxílio das tecnologias de geoprocessamento. Os resultados obtidos mostram que a distribuição dos focos erosivos está associada tanto aos condicionantes naturais quanto antrópicos. As erosões localizam-se, principalmente, sobre formas de relevo com declividade maior que 10%, recobertos por latossolos e cambissolos, desenvolvidos a partir de rochas do complexo Granulítico Anápolis-Itauçu e do Grupo Araxá Sul de Goiás, onde o uso da terra não conta com infraestruturas adequadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2010-03-10

Como Citar

LAURA F. M. TEIXEIRA, L.; DE ARAÚJO ROMÃO, P. ANÁLISE INTEGRADA DO MEIO FÍSICO COMO SUBSÍDIO AO DIAGNÓSTICO DE PROCESSOS EROSIVOS NA BACIA DO RIBEIRÃO EXTREMA EM ANÁPOLIS (GO) - DOI 10.5216/bgg.v29i2.9022. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 29, n. 2, p. 127–142, 2010. DOI: 10.5216/bgg.v29i2.9022. Disponível em: https://revistas.ufg.br/bgg/article/view/9022. Acesso em: 21 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos