FORMAÇÃO ECONÔMICO-SOCIAL (FES) E SUA DIMENSÃO GEOGRÁFICA

SOCIAL-ECONOMIC FORMATION AND ITS GEOGRAPHICAL DIMENSION

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/bgg.v43i01.68962

Resumo

A noção de Formação Econômico-Social (FES), elaborada por Marx e Lênin, vai repercutir em diversos outros trabalhos filosóficos, sociológicos, históricos, econômicos e geográficos. Na geografia, particularmente a brasileira, importantes intelectuais vão expressar a necessidade de incorporar a dimensão espacial ao debate da FES, face a inseparabilidade entre sociedade e espaço, propondo a categoria analítica formação socioespacial, a exemplo de Milton Santos.  Nesse contexto, o artigo visa discutir a interpretação geográfica brasileira acerca da noção de Formação Econômico-Social. Com o intuito de alcançar esse objetivo se realizou, em termos metodológicos, a revisão bibliográfica sobre a temática, utilizando-se de autores responsáveis pela construção teórica da FES e seus interlocutores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rogério Rego Miranda, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará, Marabá, Pará, Brasil, rogeriomir@unifesspa.edu.br

Professor Adjunto I no curso de licenciatura e bacharelado em Geografia da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA) - Campus de Marabá. Possui graduação em Geografia pela Universidade Federal do Pará (2006) e Mestrado em Organização e Gestão do território pela Universidade Federal do Pará (2009). Doutorado em Geografia Humana pela USP. Tem experiência na área de Geografia Agrária e Urbana, atuando principalmente nos seguintes temas:desenvolvimento regional; políticas públicas de desenvolvimento rural; agricultura camponesa; relação urbano e rural e movimentos socioterritoriais.

Downloads

Publicado

2023-09-01

Como Citar

MIRANDA, R. R. FORMAÇÃO ECONÔMICO-SOCIAL (FES) E SUA DIMENSÃO GEOGRÁFICA: SOCIAL-ECONOMIC FORMATION AND ITS GEOGRAPHICAL DIMENSION. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 43, n. 01, 2023. DOI: 10.5216/bgg.v43i01.68962. Disponível em: https://revistas.ufg.br/bgg/article/view/68962. Acesso em: 22 maio. 2024.