VEGETAÇÃO REMANESCENTE NAS ÁREAS PRIORITÁRIAS PARA CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE EM GOIÁS: PADRÕES DE DISTRIBUIÇÃO E CARACTERÍSTICAS - DOI 10.5216/bgg.v28i2.5726

Autores

  • Fábio Lobo CEFET/GO
  • Laerte Ferreira Guimarães Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.5216/bgg.v28i2.5726

Resumo

Estima-se que entre 40 a 55% do bioma Cerrado, a principal fronteira agrícola do país, já tenham sido desmatados. No caso de Goiás, levantamentos recentes apontam em 35% as formações savânicas e florestais remanescentes, sendo que, deste total, apenas 12% encontram-se de alguma forma protegidos. Neste sentido, em 2004, a Agência Goiana do Meio Ambiente (AGMA) concluiu o projeto Identificação de Áreas Prioritárias para Conservação da Biodiversidade, através do qual foram selecionadas 40 áreas (~ 82.297 km

2) ambientalmente relevantes, sensíveis e/ou vulneráveis. Neste artigo, os padrões de distribuição e características da vegetação remanescente destas áreas (~ 34.155 km2) foram investigados. Nossos resultados indicam que aproximadamente 48% da cobertura remanescente nestas áreas situam-se a até 500m das drenagens principais, o que ressalta a importância das áreas de proteção permanente como corredores naturais da biodiversidade. Igualmente importante, é a significativa correlação (r = 0,6) entre a proporção de remanescentes e a intensidade de pobreza nas áreas prioritárias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-03-12

Como Citar

LOBO, F.; FERREIRA GUIMARÃES, L. VEGETAÇÃO REMANESCENTE NAS ÁREAS PRIORITÁRIAS PARA CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE EM GOIÁS: PADRÕES DE DISTRIBUIÇÃO E CARACTERÍSTICAS - DOI 10.5216/bgg.v28i2.5726. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 28, n. 2, p. 89–102, 2009. DOI: 10.5216/bgg.v28i2.5726. Disponível em: https://revistas.ufg.br/bgg/article/view/5726. Acesso em: 27 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos