Do tráfico de escravos à internet: rotas sul-atlânticas, integração territorial e a nascente geografia dos cabos submarinos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/bgg.v38i3.56347

Resumo

Pelos cabos submarinos de fibra ótica passa, hoje, a quase totalidade do tráfego de internet em escala mundial. A profusão destes cabos pelos principais oceanos passa também pelo Atlântico Sul, onde atualmente estão instalados, ou em projeto, 4 cabos conectando diretamente o Brasil à África. Uma análise das rotas selecionadas sugere, porém, a continuidade geográfica de um longo processo histórico de integração territorial que se iniciou de maneira violenta com o tráfico de escravos ainda no século XVI. Da mesma maneira, foram sempre alguns poucos agentes privados, apoiados por Estados-nacionais, os principais operadores desta integração, que apesar de inicialmente violenta hoje se insere no assim denominado processo de Cooperação Sul-Sul.

Palavras-chave: Cabos submarinos, Integração territorial, Brasil-África, Atlântico Sul

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antonio Gomes de Jesus Neto, Rede ANSP (an Academic Network at São Paulo), São Paulo, São Paulo, Brasil, antoniogjneto@yahoo.com.br

Publicado

2018-12-17

Como Citar

GOMES DE JESUS NETO, A. Do tráfico de escravos à internet: rotas sul-atlânticas, integração territorial e a nascente geografia dos cabos submarinos. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 38, n. 3, p. 473–490, 2018. DOI: 10.5216/bgg.v38i3.56347. Disponível em: https://revistas.ufg.br/bgg/article/view/56347. Acesso em: 28 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos