DIVISÃO SOCIOESPACIAL DO TRABALHO E SEGMENTAÇÃO ESPACIAL DO MERCADO DE TRABALHO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO – 2000 A 2010

SOCIOESPACIAL DIVISION OF LABOR AND SPACE SEGMENTATION OF THE LABOR MARKET IN THE STATE OF RIO DE JANEIRO – FROM 2000 TO 2010

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/bgg.v39i0.56072

Resumo

O Estado do Rio de Janeiro (ERJ), após a crise na década de 1980, recebeu uma nova rodada de investimentos, principalmente no setor industrial. O aumento da exploração de petróleo na Bacia de Campos e a instalação da indústria automobilística no Vale do Paraíba indicam mudanças na estrutura espacial produtiva do ERJ, fato que geraria influência direta na divisão socioespacial do trabalho e, também, na segmentação espacial de seu mercado de trabalho. Porém, não deixou ocorrer investimento na metrópole fluminense, como foi o caso do investimento no COMPERJ. Essa rodada de investimentos merece um estudo aprofundado, buscando analisar se houve, de fato, um movimento de interiorização da economia. Para essa análise, utilizaremos os dados do PIB municipal e do Censo Demográfico, ambos produzidos pelo IBGE, para 2000 e 2010.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo Gomes Ribeiro, Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IPPUR/UFRJ)

Economista, Mestre em Sociologia e Doutor em Planejamento Urbano e Regional. Professor do IPPUR/UFRJ. Pesquisador do Observatório das Metrópoles.

Vitor Vilar Drumond, Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IPPUR/UFRJ)

Graduando em Gestão Pública para o Desenvolvimento Econômico e Social - IPPUR/UFRJ

Publicado

2019-03-07

Como Citar

RIBEIRO, M. G.; DRUMOND, V. V. DIVISÃO SOCIOESPACIAL DO TRABALHO E SEGMENTAÇÃO ESPACIAL DO MERCADO DE TRABALHO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO – 2000 A 2010: SOCIOESPACIAL DIVISION OF LABOR AND SPACE SEGMENTATION OF THE LABOR MARKET IN THE STATE OF RIO DE JANEIRO – FROM 2000 TO 2010. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 39, p. 1–23, 2019. DOI: 10.5216/bgg.v39i0.56072. Disponível em: https://revistas.ufg.br/bgg/article/view/56072. Acesso em: 16 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos