Espaço e técnica no triângulo mineiro: uma geoliteratura do mundo rural

Autores

  • Adriana Lacerda de Brito Centro Federal de Educação Tecnológica deMinas Gerais, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, alacerdab@hotmail.com
  • Joelma Cristina dos Santos Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Ituiutaba, Minas Gerais, Brasil, joelma.santos110@gmail.com

DOI:

https://doi.org/10.5216/bgg.v38i2.54614

Resumo

Este trabalho tem como objetivo principal compreender as relações entre o espaço e a técnica na geoliteratura do mundo rural do Sertão de Passagens, antigo Triângulo Mineiro. Para isso, utilizaremos as obras Sertão da Farinha Podre. Romance histórico dos primórdios IPIACUPA (2013), de Ernesto Rosa, e o livro Nos confins do Sertão da Farinha Podre, de Mário Lara (2009). Para os temas abordados, recorreremos a uma “literatura menor” que possa contribuir para uma interpretação das relações entre a sociedade e a natureza que se desenham na região. O mundo rural, construído no lugar do sertão de outrora, surge aos poucos, a partir dos avanços relacionados à modernidade, orientando-se pela mediação técnica que aparece na constituição do território e da paisagem, e compreende o espaço geográfico em sua completude. Dessa forma, representações do mundo rural cercam o espaço das obras analisadas, contribuindo para interpretações do espaço, à medida que se reconhecem não apenas os limites da técnica, mas também a essência do espaço.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana Lacerda de Brito, Centro Federal de Educação Tecnológica deMinas Gerais, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, alacerdab@hotmail.com

Joelma Cristina dos Santos, Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Ituiutaba, Minas Gerais, Brasil, joelma.santos110@gmail.com

Publicado

2018-08-25

Como Citar

LACERDA DE BRITO, A.; CRISTINA DOS SANTOS, J. Espaço e técnica no triângulo mineiro: uma geoliteratura do mundo rural. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 38, n. 2, p. 365–385, 2018. DOI: 10.5216/bgg.v38i2.54614. Disponível em: https://revistas.ufg.br/bgg/article/view/54614. Acesso em: 18 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos