ESTRATÉGIAS ESPACIAIS NA PARADA LGBT EM GOIÂNIA, GOIÁS

Autores

  • Jorgeanny de Fátima R. Moreira Universidade Federal de Goiás
  • Carlos Eduardo Santos Maia

DOI:

https://doi.org/10.5216/bgg.v37i2.49155

Resumo

As reflexões desenvolvidas neste artigo referem-se às análises realizadas sobre as estratégias espaciais e as microterritorialidades efêmeras que se estabelecem no espaço público de Goiânia durante o principal evento voltado para o público LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais) do Estado de Goiás: a Parada LGBT. Com base em leituras que se preocupam com os temas territorialidades, microterritorialidades e estratégias espaciais, desenvolvemos conceitos que buscam explicar esses fenômenos como mecanismos importantes para a manutenção do evento, que em suas características efêmeras, consegue permanecer no espaçotempo da cidade. Além da revisão bibliográfica, realizamos trabalho de campo em três edições do evento. Nessas incursões utilizamos a observação participante e as entrevistas semiestruturadas como ferramentas metodológicas. Com base nessa breve contextualização, permite-se pensar as paradas como movimentos sociais e, ao mesmo tempo, entendê-las como possibilidades de ativismo, de participação política e de organização social dos indivíduos que podem representar a inversão das atuais formas de poder. Palavras-chave: Festa popular, visibilidade, ajuntamento político, resistência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-08-31

Como Citar

DE FÁTIMA R. MOREIRA, J.; EDUARDO SANTOS MAIA, C. ESTRATÉGIAS ESPACIAIS NA PARADA LGBT EM GOIÂNIA, GOIÁS. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 37, n. 2, 2017. DOI: 10.5216/bgg.v37i2.49155. Disponível em: https://revistas.ufg.br/bgg/article/view/49155. Acesso em: 18 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos