CARTOGRAFIA, TERRITÓRIO E PODER: DIMENSÃO TÉCNICA E POLÍTICA NA UTILIZAÇÃO DE MAPAS - DOI 10.5216/bgg.v26i2.4141

Autores

  • Antonio Teixeira Neto Universidade Catolica de Goias

DOI:

https://doi.org/10.5216/bgg.v26i2.4141

Resumo

Imagem representativa da natureza visível, o mapa é a

construção mais lógica e rigorosa do mundo das imagens.

Há, contudo, quem pense que ele é obra apenas

de especialistas e de acesso restrito a poucas pessoas.

Por isso, ao longo da história, ele tem sido objeto de

usos dos mais diversos, sobretudo, no campo político

e militar. Não é, portanto, de estranhar que o mapa,

também, serve para fazer a guerra. Porém, sua maior

utilidade é para promover a paz, diminuir a discórdia

e informar a todos os cidadãos indistintamente sobre

a especificidade do território em que eles habitam. O

mapa tem, portanto, várias dimensões e, entre elas, a

que mais inibe as pessoas quanto ao seu uso e leitura,

é a sua dimensão técnica. Ora, quaisquer que sejam os

recursos tecnológicos utilizados na sua realização – se

desenhados à mão ou assistidos por computadores segundo

os recursos da cartografia multimídia interativa

– o procedimento metodológico é um só: o respeito irrestrito

aos meios e às regras de construção gráfica, ou

seja, à abordagem semiológica da representação gráfica

segundo é mostrado por Jacques Bertin há quese

meio século.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2008-06-30

Como Citar

TEIXEIRA NETO, A. CARTOGRAFIA, TERRITÓRIO E PODER: DIMENSÃO TÉCNICA E POLÍTICA NA UTILIZAÇÃO DE MAPAS - DOI 10.5216/bgg.v26i2.4141. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 26, n. 2, p. 49–69, 2008. DOI: 10.5216/bgg.v26i2.4141. Disponível em: https://revistas.ufg.br/bgg/article/view/4141. Acesso em: 21 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos