A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE GEOGRAFIA: UMA QUESTÃO INSTITUCIONAL - DOI 10.5216/bgg.v24i1.4130

Autores

  • Núria Hanglei Cacete Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.5216/bgg.v24i1.4130

Resumo

 

Diante das novas exigências legais em relação à formação de professores para a educação básica, postas pela reforma educacional em curso no país, particularmente no que diz respeito ao novo modelo institucional, o instituto superior de educação, e tendo em vista que as instituições privadas de ensino superior estão deixando de oferecer cursos de licenciatura em favor de uma oferta seletiva de cursos voltados para carreiras de maior demanda e retorno financeiro, consideramos ser este um tema profícuo para estudos e atento acompanhamento das mudanças que estão se processando. O objetivo deste trabalho é analisar a formação do professor do ponto de vista institucional, e particularmente do curso de licenciatura em geografia que tem progressivamente apresentado baixa demanda. A metodologia utilizada privilegiou a análise de documentos legais e de estudos sobre o ensino superior brasileiro. Concluímos que para o estabelecimento de um novo modelo curricular e institucional de formação de professores é necessária uma revisão do processo de expansão/diversificação do ensino superior, sobretudo público, para assegurar a regularidade e permanência dos cursos de licenciatura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2008-06-30

Como Citar

HANGLEI CACETE, N. A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE GEOGRAFIA: UMA QUESTÃO INSTITUCIONAL - DOI 10.5216/bgg.v24i1.4130. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 24, n. 1, p. 23–30, 2008. DOI: 10.5216/bgg.v24i1.4130. Disponível em: https://revistas.ufg.br/bgg/article/view/4130. Acesso em: 21 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos