A OCUPAÇÃO NO ENTORNO DAS TERRAS INDÍGENAS EM RONDÔNIA, BRASIL - DOI 10.5216/bgg.v35i3.38834

Autores

  • Alex Mota Santos Universidade Federal de Goiás
  • Maria Lúcia Cereda Gomide

DOI:

https://doi.org/10.5216/bgg.v35i3.38834

Resumo

A ocupação da Amazônia, especialmente em Rondônia, ocasionou a supressão dos territórios indígenas. Assim, parte desses territórios são as atuais terras demarcadas, que em muitos casos, encontram-se pressionadas pelas atividades econômicas que as envolvem. Desta forma, o presente trabalho tem como objetivo mapear e discutir as pressões da ocupação no entorno das Terras Indígenas no Estado de Rondônia.
Para alcançar os objetivos propostos, aplicou-se métodos indiretos de análise espacial: análises de imagens de sensoriamento remoto orbital e álgebra de mapas. Os resultados revelaram que a área estudada soma 5.504.717,63 hectares, sendo que 1.438.577,46 estão comprometidos por usos múltiplos, em que destaca a
pecuária extensiva. A Terra Indígena (TI) Rio Omerê é, dentre as 21 terras indígenas analisadas, a que apresentou maior valor de área antropizada do entorno próximo, um total de 65,36%, seguida das Terras indígenas Ribeirão e Lage, com 52,56% e 50,34%, respectivamente. Por outro lado, o entorno da TI Rio Negro Ocaia
apresenta-se mais preservado, com apenas 0,31% da área desmatada. Além disso, aproximadamente 70% da área estudada revelou um Índice de Pressão Antrópico (IPA) baixo, enquanto que 3,54% apresentou IPA Alto.
Palavras-chave: Ocupação na Amazônia, Rondônia, Terras Indígenas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2015-12-01

Como Citar

MOTA SANTOS, A.; LÚCIA CEREDA GOMIDE, M. A OCUPAÇÃO NO ENTORNO DAS TERRAS INDÍGENAS EM RONDÔNIA, BRASIL - DOI 10.5216/bgg.v35i3.38834. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 35, n. 3, p. 417–436, 2015. DOI: 10.5216/bgg.v35i3.38834. Disponível em: https://revistas.ufg.br/bgg/article/view/38834. Acesso em: 21 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos