BREVE LEITURA DO ESPAÇO-TEMPO NAS PASSAGENS DE WALTER BENJAMIN: CONTRIBUIÇÕES PARA COMPREENSÃO GEOGRÁFICA DO CAPITALISMO - DOI 10.5216/bgg.v36i2.42800

Autores

  • Wagnervalter Dutra Júnior Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.5216/bgg.v36i2.42800

Resumo

As passagens foram se estabelecendo nas ruas de Paris a partir de meados do século XIX, paralelo à ampliação da produção e circulação de mercadorias na capital francesa. As exposições universais da produção industrial, bem como a utilização do ferro e do vidro na arquitetura e construções, datam da mesma época e têm como pano de fundo o mesmo processo de intensificação da materialidade capitalista na Europa. Walter Benjamin elabora uma densa pesquisa a respeito da estruturação do espaço-tempo subjacente ao processo que estabelece as passagens e, concomitantemente, à haussmannização das ruas de Paris, processo que tem relação direta com o estabelecimento da centralidade da mercadoria na sociedade francesa e com a ampliação da alienação. A reflexão apresentada busca levantar a possibilidade de resgatar a leitura do espaço-tempo que
Walter Benjamin realiza em Passagens como forma de auxiliar na compreensão geográfica do capitalismo.
Palavras-chave: capital, mercadoria, fantasmagoria, alienação, Paris.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-08-16

Como Citar

DUTRA JÚNIOR, W. BREVE LEITURA DO ESPAÇO-TEMPO NAS PASSAGENS DE WALTER BENJAMIN: CONTRIBUIÇÕES PARA COMPREENSÃO GEOGRÁFICA DO CAPITALISMO - DOI 10.5216/bgg.v36i2.42800. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 36, n. 2, p. 378, 2016. DOI: 10.5216/bgg.v36i2.42800. Disponível em: https://revistas.ufg.br/bgg/article/view/359. Acesso em: 24 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos