DEMANDA HÍDRICA PARA IRRIGAÇÃO POR PIVÔS CENTRAIS NO ESTADO DE GOIÁS - DOI 10.5216/bgg.v34i3.33855

Autores

  • Lindolfo Caetano Pereira Júnior Universidade Federal de Goiás
  • Patrícia Pereira da Silva Nicácio

DOI:

https://doi.org/10.5216/bgg.v34i3.33855

Resumo

Este trabalho traz um balanço entre a oferta e a demanda hídrica para a irrigação por pivôs centrais em Goiás. Para tal, foram considerados os equipamentos existentes em 2013 no estado e no Distrito Federal. A disponibilidade hídrica considerada foi o volume outorgável para cada mês do ano no estado de Goiás: 50% da Q95%, e, para o cálculo da demanda, utilizaram-se os procedimentos definidos no Manual Técnico de Outorga da Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh). Nesse contexto, foram delimitadas 9.542 sub-bacias, das quais 2.850 apresentaram demanda no ano de 2013, e destas, 543 tiveram demanda superior ao volume outorgável. Observou-se que o período que apresentou maior demanda foi entre abril e setembro, figurando este último mês como o mais crítico. Mapearam-se ainda oito áreas que apresentaram um elevado índice de comprometimento, sobretudo nas regiões do Alto e Médio Paranaíba, Médio Araguaia e Alto Rio Uru, além da Bacia do Rio Preto, predominantemente no Distrito Federal.

Palavras-chave: irrigação, pivôs centrais, disponibilidade hídrica, comprometimento hídrico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-01-10

Como Citar

CAETANO PEREIRA JÚNIOR, L.; PEREIRA DA SILVA NICÁCIO, P. DEMANDA HÍDRICA PARA IRRIGAÇÃO POR PIVÔS CENTRAIS NO ESTADO DE GOIÁS - DOI 10.5216/bgg.v34i3.33855. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 34, n. 3, p. 443–463, 2015. DOI: 10.5216/bgg.v34i3.33855. Disponível em: https://revistas.ufg.br/bgg/article/view/33855. Acesso em: 22 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos