UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DO MUNICÍPIO DE GUARULHOS: AVALIAÇÃO COM BASE EM ASPECTOS GEOAMBIENTAIS E INSTRUMENTOS DE GESTÃO - DOI 10.5216/bgg.v34i1.29315

Autores

  • Silmara Guerra Ferraz da Fonseca Universidade de Guarulhos
  • Marcio Roberto Magalhães de Andrade Universidade de Guarulhos
  • Antonio Manoel dos Santos Oliveira Universidade de Guarulhos

DOI:

https://doi.org/10.5216/bgg.v34i1.29315

Resumo

O município de Guarulhos integra a Região Metropolitana de São Paulo que é abrangida e envolvida pela Reserva da Biosfera do Cinturão Verde da Cidade de São Paulo (RBCV). Nesse contexto, Guarulhos tem um papel estratégico ao apresentar um total de nove Unidades de Conservação da Natureza, espaços territoriais
especialmente protegidos que se estendem por uma área equivalente a 42,4% do território do município. Estas Unidades de Conservação concentram-se notadamente na região norte de Guarulhos, em terrenos relacionados ao Planalto Mantiqueira, uma região formada por relevo serrano intermediada por morros, em oposição à região sul relacionada ao Planalto de São Paulo, onde o relevo colinoso inclui amplas planícies fluviais apresentando intensa ocupação do solo. Dessa forma, as características geoambientais observadas nestas Unidades de Conservação indicam uma clara vocação para serviços ambientais que garantem a manutenção da cidade e
região. Este artigo estabelece uma proposta de avaliação das Unidades de Conservação de Guarulhos com base em aspectos geoambientais e instrumentos de gestão.

Palavras-chave: unidades de conservação, Guarulhos, geoambiental, gestão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-04-05

Como Citar

GUERRA FERRAZ DA FONSECA, S.; ROBERTO MAGALHÃES DE ANDRADE, M.; MANOEL DOS SANTOS OLIVEIRA, A. UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DO MUNICÍPIO DE GUARULHOS: AVALIAÇÃO COM BASE EM ASPECTOS GEOAMBIENTAIS E INSTRUMENTOS DE GESTÃO - DOI 10.5216/bgg.v34i1.29315. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 34, n. 1, p. 55–72, 2014. DOI: 10.5216/bgg.v34i1.29315. Disponível em: https://revistas.ufg.br/bgg/article/view/29315. Acesso em: 18 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos