EM DEFESA DOS TERRITÓRIOS FAXINALENSES: A EMERGÊNCIA DE “NOVOS” SUJEITOS EM LUTA NO ESPAÇO RURAL - DOI 10.5216/bgg.v33i3.27330

Autores

  • Gustavo Felipe Olesko Universidade Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.5216/bgg.v33i3.27330

Resumo

O presente artigo tem o objetivo de trazer à tona uma discussão acerca da emergência de “novos sujeitos”do espaço agrário brasileiro, especialmente do espaço agrário do Estado do Paraná: os faxinalenses. Paratanto, se faz necessário o conhecimento desses “novos sujeitos” e o entendimento do que realmente lhesocorreu: a invisibilidade desses homens e mulheres faxinalenses e sua luta, que não surgiu recentemente. Aquestão faxinalense se enquadra na questão agrária, destacando-se a autonomia que esses povos possuemcomo elemento-chave para se compreender o motivo de seu aparente surgimento para as massas somente emidos dos anos 2000, uma vez que nesse momento da história sua luta avança para além da luta pelo meio deprodução, a terra, indo até a esfera de práticas e modos de vida, o território. Assim, é vital a discussão acerca doconceito de território, pois o mesmo é ponto-chave para todo o desenrolar da luta e do próprio entendimento daluta desses faxinalenses e de outros povos e comunidades tradicionais. O que se objetiva aqui é mostrar comoessa luta é antiga, assim como os problemas do Brasil no que tange à questão da propriedade rural e das lutascamponesas. Para melhor compreensão, é importante o conhecimento dos conflitos nos quais se inserem osfaxinalenses, conflitos que se dão desde a esfera ambiental até à questão de políticas públicas para o campo. Osfaxinalenses são pressionados tanto por ambientalistas quanto por elementos do agronegócio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-11-13

Como Citar

FELIPE OLESKO, G. EM DEFESA DOS TERRITÓRIOS FAXINALENSES: A EMERGÊNCIA DE “NOVOS” SUJEITOS EM LUTA NO ESPAÇO RURAL - DOI 10.5216/bgg.v33i3.27330. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 33, n. 3, p. 391–406, 2013. DOI: 10.5216/bgg.v33i3.27330. Disponível em: https://revistas.ufg.br/bgg/article/view/27330. Acesso em: 20 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos