A POLISSEMIA EM TORNO DO VOCÁBULO PAYS/PAÍS: ENTRE ESCALAS, ESTADOS E NAÇÕES - DOI 10.5216/bgg.v33i2.25554

Autores

  • Rogata Soares Del Gaudio Universidade Federal de Minas Gerais
  • Doralice Barros Pereira

DOI:

https://doi.org/10.5216/bgg.v33i2.25554

Resumo

O presente artigo explora a polissemia do vocábulo país, tendo como referencial teórico a análise do discurso.As fontes de análise compreenderam uma revisão bibliográfica e as manifestações desse termo associadasàs respostas sobre nação e estado nacional, em entrevistas com quatorze professores de escolas públicas eprivadas de nível médio, em Belo Horizonte. A palavra país, ao ser aplicada tanto para se referir à nação quantoao estado nacional, dispensa definições mais precisas e exatamente por isso ganha plasticidade, e sua utilidadetorna-se conveniente, gerando consensos. Aí reside seu potencial para a produção de sentidos que faculta aosseres humanos um sentimento de pertencimento a mundos sócio-históricos. Simultaneamente, a utilização dotermo país permite aos sujeitos (re)construírem suas identidades ligadas aos espaços – lugares de nascimento,estados/províncias, regiões, estados-nacionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-07-24

Como Citar

SOARES DEL GAUDIO, R.; BARROS PEREIRA, D. A POLISSEMIA EM TORNO DO VOCÁBULO PAYS/PAÍS: ENTRE ESCALAS, ESTADOS E NAÇÕES - DOI 10.5216/bgg.v33i2.25554. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 33, n. 2, p. 185–201, 2013. DOI: 10.5216/bgg.v33i2.25554. Disponível em: https://revistas.ufg.br/bgg/article/view/25554. Acesso em: 29 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos