ZONEAMENTO AMBIENTAL COMO INSTRUMENTO DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO DO MUNICÍPIO DE AQUIRAZ-CE - DOI 10.5216/bgg.v32i1.18958

Autores

  • José Lidemberg de Sousa Lopes Universidade Federal do Ceará
  • Luiz Antonio Cestaro Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Fátima Maria Soares Kelting Universidade Federal do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.5216/bgg.v32i1.18958

Resumo

A Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) é composta por quinze municípios, destacando-se entre eles Aquiraz,que possui uma excelente estância balneária e grande importância em razão de seus aspectos socioculturais ehistóricos. Foi uma das primeiras vilas e primeira capital do Ceará, fundada em 1699 e com sede administrativada capitania do Siará-Grande até 1726. O crescimento urbano local, que vem ocorrendo de forma desordenadanas últimas décadas, em virtude da inserção da indústria do turismo ao longo do litoral cearense, é incompatívelcom a baixa capacidade de suporte do meio natural, configurando-se insustentável e degradante do meioambiente. O objetivo deste trabalho foi o planejamento adequado do uso e da ocupação do solo de Aquiraz eisso inferiu no zoneamento ambiental da área, baseado na gerência dos interesses e das necessidades sociais eeconômicas em consonância com a preservação do meio ambiente e as características naturais do município.Para atingir o objetivo pretendido, foi feita pesquisa bibliográfica sobre o tema zoneamento, coleta de dadoscensitários de órgãos públicos, trabalho de campo e preparo de material cartográfico como imagem de satéliteSPOT (2002) para a confecção do mapa síntese de zoneamento ambiental desse município.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-06-15

Como Citar

LIDEMBERG DE SOUSA LOPES, J.; ANTONIO CESTARO, L.; MARIA SOARES KELTING, F. ZONEAMENTO AMBIENTAL COMO INSTRUMENTO DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO DO MUNICÍPIO DE AQUIRAZ-CE - DOI 10.5216/bgg.v32i1.18958. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 32, n. 1, p. 93–104, 2012. DOI: 10.5216/bgg.v32i1.18958. Disponível em: https://revistas.ufg.br/bgg/article/view/18958. Acesso em: 25 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos