O GEÓGRAFO COMO TÉCNICO FUNDAMENTAL NO PROCESSO DE GESTÃO DOS RISCOS NATURAIS - DOI 10.5216/gng.v32i1.18953

Autores

  • António de Sousa Pedrosa Universidade do Porto

DOI:

https://doi.org/10.5216/gng.v32i1.18953

Resumo

A coexistência do meio físico com a ação humana pressupõe a existência de uma relação dinâmica. O meiofísico preexistente possui a sua própria dinâmica natural. Contudo, os processos naturais só constituem risco napresença do Homem. Da interação das atividades humanas com o meio físico decorrem dois tipos de relações:- o Homem como agente ativo que atua sobre o meio (agente passivo); deste tipo de relação resulta o impactoambiental;- o meio como agente ativo que influencia as atividades humanas.Daqui se depreende que o risco depende da probabilidade de ocorrência de um processo natural e da vulnerabilidadeda sociedade, ou seja, o risco mede os efeitos desse fenômeno sobre as populações e os seus bens.O modelo de gestão dos riscos naturais proposto contempla um conjunto de cinco fases sequenciaise interrelacionadas entre si: o processo de diagnóstico e avaliação do risco; a etapa preventiva em que seprocuram implementar medidas de mitigação ativas e passivas de risco; a fase de gestão da situação de crise eda pós-crise imediata e, por último, a reconstrução e planejamento preventivo.Palavras-chave: riscos naturais, riscos ambientais, geografia, ordenamento do território, gestão de riscos,geomorfologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-06-15

Como Citar

DE SOUSA PEDROSA, A. O GEÓGRAFO COMO TÉCNICO FUNDAMENTAL NO PROCESSO DE GESTÃO DOS RISCOS NATURAIS - DOI 10.5216/gng.v32i1.18953. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 32, n. 1, p. 11–30, 2012. DOI: 10.5216/gng.v32i1.18953. Disponível em: https://revistas.ufg.br/bgg/article/view/18953. Acesso em: 27 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos