OS SENTIDOS DA MODERNIZAÇÃO - DOI 10.5216/bgg.V30i2.13285

Autores

  • Denis Castilho Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.5216/bgg.v30i2.13802

Resumo

A modernização se apresenta como um projeto da modernidade feita a partir de uma ideologia desenvolvimentista, do progresso e da racionalidade. Como expansão do modo de produção capitalista pelos lugares, ela se estabelece a partir de dois modelos principais: um político e ideológico; e outro de base técnica e infraestrutural. Nesse sentido, os atores hegemônicos, renovam constantemente os instrumentos e as relações de produção assim como os discursos (do que a ciência não se isenta) que justificam e até “naturalizam” a modernização como um processo necessário ao “progresso social”. A forte difusão desse conceito no âmbito político é proveniente da forma autoritária como ele foi imposto em países como o Brasil e da maneira como o discurso se reproduz a partir de uma determinada classe. Este artigo debate essas questões mediante uma revisão de autores que trabalham o conceito e de uma crítica à forma como alguns abordam o tema por meio de uma concepção reducionista de espaço e de interpretações dualistas. Levanta também algumas questões acerca dos estudos que analisam a modernização com enfoque na modernidade e suas tendências paradigmáticas sem, contudo, entrar na discussão política, histórica e espacial do fenômeno.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-04-05

Como Citar

CASTILHO, D. OS SENTIDOS DA MODERNIZAÇÃO - DOI 10.5216/bgg.V30i2.13285. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 30, n. 2, p. 125–140, 2011. DOI: 10.5216/bgg.v30i2.13802. Disponível em: https://revistas.ufg.br/bgg/article/view/13802. Acesso em: 25 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos