AVALIAÇÃO E RECUPERAÇÃO DA ÁREA DEGRADADA (VOÇOROCA) NO INTERIOR DA FAZENDA EXPERIMENTAL DO GLÓRIA NO MUNICÍPIO DE UBERLÂNDIA (MG) - DOI 10.5216/bgg.V30i2.13278

Autores

  • Douglas Santana Serato Universidade Federal de Uberlândia
  • Silvio Carlos Rodrigues

DOI:

https://doi.org/10.5216/bgg.v30i2.13788

Resumo

A intensa exploração trouxe consequências negativas ao meio ambiente. Áreas agrícolas e ocupações residenciais em áreas de risco, entre outros, são fatores que contribuem para a contínua e incansável degradação ambiental. É por este e outros fatores que no Brasil, cada vez mais, estão sendo elaborados projetos de recuperação de áreas degradadas, visando não somente à recuperação em si, mas, principalmente, à conscientização da população para a questão da preservação ambiental. O presente projeto teve como área de atuação a Fazenda Experimental do Glória, localizada no município de Uberlândia-MG, onde foram desenvolvidas metodologias que aliavam a recuperação da área degradada à utilização de materiais de baixo custo. Foram instaladas barreiras de contenção de sedimentos feitas com bambus, telhas e sacos de ráfia contendo terra. Outro material utilizado foram as mantas antierosivas que serviram para segurar os materiais grosseiros do solo como, por exemplo, os seixos, e que também tinham como função reter umidade no solo, favorecendo com isso o desenvolvimento de plantas no entorno dos canais de estudo. Para medir a efetividade das barreiras, foram colocados vergalhões de ferro em diversos pontos no interior do canal, onde se coletava informações sobre a quantidade de sedimentos que eram depositados ou erodidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-04-05

Como Citar

SANTANA SERATO, D.; CARLOS RODRIGUES, S. AVALIAÇÃO E RECUPERAÇÃO DA ÁREA DEGRADADA (VOÇOROCA) NO INTERIOR DA FAZENDA EXPERIMENTAL DO GLÓRIA NO MUNICÍPIO DE UBERLÂNDIA (MG) - DOI 10.5216/bgg.V30i2.13278. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 30, n. 2, p. 29–42, 2011. DOI: 10.5216/bgg.v30i2.13788. Disponível em: https://revistas.ufg.br/bgg/article/view/13788. Acesso em: 25 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos