LEITURA SOBRE O NEGRO NA CIDADE DE GOIÁS A PARTIR DA CAPOEIRA ANGOLA - DOI 10.5216/bgg.V30i1.11201

Autores

  • Rosemberg Ferracini Universidade de São Paulo
  • Carlos Eduardo Santos Maia Universidade Federal de Juiz de Fora

DOI:

https://doi.org/10.5216/bgg.v30i1.11201

Resumo

Neste trabalho dedicamos nossa atenção à investigação da territorialidade e da identidade negras como dilemáticas aos integrantes do grupo de capoeiristas angoleiros na Cidade de Goiás, discutindo como estes grupos se (re)constituíram a partir da inserção de seus membros no projeto “Anunciando a Consciência Negra com os Meninos de Angola”. Assim, investigamos o significado desta arte negra para as pessoas que participam e se engajam no projeto, bem como alguns rituais e práticas espaciais que orientam suas territorialidades nessa cidade. Nosso objetivo na pesquisa foi compreender o projeto do grupo, que é direcionado para jovens, adultos e crianças, assim como a proposta de resgate da ancestralidade e religiosidade negras, bases da territorialidade e identidade como “capoeiristas angoleiros”. Estas intenções nos levaram, paralelamente, a interpretar os próprios ideários relacionados ao modo de ser do capoeirista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2010-08-31

Como Citar

FERRACINI, R.; SANTOS MAIA, C. E. LEITURA SOBRE O NEGRO NA CIDADE DE GOIÁS A PARTIR DA CAPOEIRA ANGOLA - DOI 10.5216/bgg.V30i1.11201. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 30, n. 1, p. 141–154, 2010. DOI: 10.5216/bgg.v30i1.11201. Disponível em: https://revistas.ufg.br/bgg/article/view/11201. Acesso em: 18 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos