Segurança hídrica e conflitos pela água no município de Cristalina-Go

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/ag.v17i3.76941

Resumo

Objetivou-se demonstrar como a irrigação e a geração de energia hidrelétrica tem gerado conflitos pela água em Cristalina, quepassou a contar a irrigação por pivôs centrais a partir de meados da década de 1980, levando a situação hídrica a um nível crítico, que foi majorado pela instalação da Usina Hidrelétrica de Batalha. A partir de informações geográficas e estatísticas do projeto MapBiomas, da Agência Nacional de Águas e de órgãos estatais analisaram-se as condições socioambientais e os impactos causados pelos usos da água em Cristalina. Verificou-se que em 2020 9,47% do território municipal eram ocupados por pivôs centrais. A presença da hidrelétrica aumentou a pressão sobre o ambiente e os conflitos com produtores rurais. Apesar da dinamicidade econômica o município apresenta baixo desenvolvimento social. Os interesses capitalistas tem dificultado a observação dos limites ambientais razoáveis para o uso da água.

Palavras-chave:Irrigação. Pivô central. Insegurançahídrica. Cristalina.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2023-12-20

Como Citar

DOS SANTOS BARROS, N.; BARBOSA DA SILVA, E.; FERNANDES DOS ANJOS, A. Segurança hídrica e conflitos pela água no município de Cristalina-Go. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 17, n. 3, p. 196–222, 2023. DOI: 10.5216/ag.v17i3.76941. Disponível em: https://revistas.ufg.br/atelie/article/view/76941. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos