O serviço Uber Moto no Brasil: operação às margens da legalidade e vampirização das formas de transporte popular

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/ag.v17i2.76880

Resumo

O artigo traz resultados de pesquisas em andamento, apresentando análises acerca de uma nova modalidade de serviço oferecido pela corporação Uber no território brasileiro, o Uber Moto, posteriormente oferecido também pela 99/DiDi. O texto debate uma nova etapa do processo de precarização do trabalho, bem como a apropriação (ou “vampirização”), pela corporação, de formas de deslocamento típicas da economia popular em países periféricos, como o Brasil. O recorte empírico de análise são os munícipios da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), mas também são desenvolvidas análises em escala nacional, bem como debatidas as normatizações do serviço em outros municípios. Metodologicamente, a pesquisa apoiou-se na análise de dados secundários diversos e no uso de emuladores de localização para comprovar a existência do serviço nas cidades. Por fim, apresenta conclusões acerca do conflito entre a gestão municipal e metropolitana do trânsito e o uso do território pelas empresas de transporte por aplicativos, que operam nos municípios onde não há regulamentação especifica sobre o serviço de mototáxi, o que implica, também, em novas formas de precarização do trabalho e riscos de acidentes aos condutores e passageiros.

Palavras-chave: Plataformas Digitais; mototáxi; uberização; precarização do trabalhos; mobilidade urbana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2023-08-20

Como Citar

TOZI, F.; RIBEIRO DUARTE, L.; MARQUES LEITE, T. O serviço Uber Moto no Brasil: operação às margens da legalidade e vampirização das formas de transporte popular. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 17, n. 2, p. 268 –, 2023. DOI: 10.5216/ag.v17i2.76880. Disponível em: https://revistas.ufg.br/atelie/article/view/76880. Acesso em: 15 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê - Digitalização do território, plataformas digitais e hegemonia financeira