Cartografia do avanço das cidades sobre os rios em Goiás

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/ag.v17i3.75919

Resumo

 

 Os objetivos do presente artigo são apresentar a centralidade dos rios para a constituição das cidades e analisar uma cartografia do avanço das cidades sobre os rios em Goiás. Para alcançar esses objetivos realizou-se revisão de literatura e elaboração, com geoprocessamento, de mapas de usos e de ocupações da terra. O artigo faz parte de uma pesquisa macro intitulada Rios urbanos: o avanço das cidades sob os cursos d’água em Goiás, do Programa de Desenvolvimento Científico e Tecnológico Regional (PDCTR), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg) em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Visando abranger o estado de Goiás, para a referida pesquisa, foram selecionados seis (6) cursos d’água e cidades nas diferentes mesorregiões de Goiás: Córrego Barreiro/Porangatu/Norte Goiano; Córrego Jataí/Jataí/Sul Goiano; Rio Preto/Formosa/Leste Goiano; Rio das Almas/Ceres e Rialma/Centro Goiano; Rio Araguaia/Aruanã/Noroeste Goiano e Rio Vermelho/Cidade de Goiás/Noroeste Goiano. Como resultado, verificou-se um constante estado de guerra contra os povos nativos, onde estes foram – e continuam sendo – excluídos de seus territórios ancestrais. Diante do exposto, problematiza-se: existe proteção ciliar nos “rios urbanos” em Goiás, área predominantemente de Cerrado? Ao longo da pesquisa, conclui-se que as cidades em estudo não mantêm e nem protegem as matas ciliares, essas que são fundamentais para a proteção dos cursos d’água, para a habitabilidade das pessoas nas cidades e para a vida. 

Palavras-chave: Relação rios e cidades. Mapas de Usos e Ocupações da Terra. Messoregiões de Goiás. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2023-12-20

Como Citar

ARAÚJO DE OLIVEIRA, F.; CRISTINA DA CUNHA, M. Cartografia do avanço das cidades sobre os rios em Goiás. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 17, n. 3, p. 223–246, 2023. DOI: 10.5216/ag.v17i3.75919. Disponível em: https://revistas.ufg.br/atelie/article/view/75919. Acesso em: 21 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos