Avaliação de nascentes para a gestão ambiental integrada: Insuficiências e proposições apontadas por um painel de especialistas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/ag.v16i3.72240

Resumo

A comunidade acadêmica tem mostrado uma crescente preocupação com o desaparecimento e descaracterização de nascentes em todo o planeta, apesar da preconizada importância desses hidrossistemas. Uma lacuna tácita refere-se à falta de consenso em relação às técnicas de avaliação ambiental de nascentes, que muitas vezes não compreendem toda a complexidade inerente a elas. Esse trabalho reporta os resultados de um Painel de Especialistas (técnica Delphi) para a definição dos  parâmetros mais relevantes para avaliação de nascentes no Brasil. Os indicadores elegidos foram classificados no modelo Estado-Pressão-Resposta e qualificados de acordo com sua aceitação na comunidade científica. Por fim, o rol de parâmetros que emerge dessa proposta compila indicadores interdisciplinares, interescalares e de natureza diversa, que poderão colaborar para a governança das nascentes brasileiras.

Palavras-chave: Nascente. Governança. Painel Delphi. Indicadores Ambientais

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-12-21

Como Citar

NAZARETH DE MOURA, M.; FERNANDES FELIPPE, M. Avaliação de nascentes para a gestão ambiental integrada: Insuficiências e proposições apontadas por um painel de especialistas. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 16, n. 3, p. 215–241, 2022. DOI: 10.5216/ag.v16i3.72240. Disponível em: https://revistas.ufg.br/atelie/article/view/72240. Acesso em: 22 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos